domingo, 20 set 2020
Publicidade

PF faz mega operação em Araraquara em busca de suposto hacker invasor do Telegram de autoridades

A Polícia Federal deflagrou, neste terça-feira (23), uma mega operação em Araraquara (SP) com agentes vindos diretamente de Brasília. O site A Cidade On, site da região que faz parte do Grupo EP, que reúne veículos como EPTV (filiada da Globo no interior paulista), CBN e Jovem Pan, apurou que o objetivo era encontrar provas e suspeitos de terem invadido celulares de autoridades e vazado conversas do aplicativo Telegram. Uma pessoa, que não teve a identidade revelada, teria sido detida.

De acordo com o A Cidade On, foram expedidos mandados de busca e apreensão em duas casas da cidade. Equipamentos eletrônicos foram apreendidos e, além do primeiro suspeito que foi detido para prestar esclarecimentos, um segundo suspeito conhecido como “Vermelho” estaria foragido. O advogado de “Vermelho”, Ariovaldo Moreira, ao site de Araraquara, confirmou o teor da operação e disse que não sabe do paradeiro de seu cliente.

Apesar da operação ter ocorrido em caráter sigiloso, o A Cidade On teve acesso ao documento que embasava os mandados de busca e apreensão, onde consta que os endereços da cidade deveriam ser vistoriados “com a finalidade de se obter de forma seletiva todos os elementos de provas relacionadas a invasão de contas do aplicativo Telegram utilizadas pelo atual ministro da justiça e segurança pública”, em referência ao ministro Sérgio Moro.

A suspeita da PF é que os diálogos entre Moro e procuradores da Lava Jato que vêm sendo divulgados pelo The Intercept Brasil teriam sido obtidos através de invasões hackers.

De acordo com a imprensa local, os mandados em Araraquara foram cumpridos pelo delegado Luiz Flávio Zampronha e a ordem judicial da busca foi dada pelo juiz federal Valisney de Souza Oliveira, da 10ª |Vara Criminal do Distrito Federal.

Outro veículo da região, no entanto, noticiou a operação sem mencionar as supostas invasões de celulares. Segundo o Araraquara 24h, a investigação estaria ligada a fraudes, desvios de dinheiro e envolvimento com tráfico de drogas.

A Polícia Federal, por sua vez, divulgou no final da tarde uma nota curta sobre a operação em que se limita a informar que cumpridas onze ordens judiciais, sendo sete mandados de busca e Apreensão e quatro mandados de prisão temporária, nas cidades de São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

De acordo com a PF, que não citou, em sua nota, a suposta invasão ao celular de Sérgio Moro, o objetivo da operação, batizada de Spoofing, era desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos.

“Spoofing” é um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é.

 

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.