Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
23 de julho de 2019, 19h15

PF informa que não há inquérito aberto contra Glenn Greenwald

Manifestação foi feita ao STF; nesta quinta-feira (23), a mesma PF deflagrou operação que prendeu quatro supostos hackers que teriam envolvimento em uma suposta invasão ao celular de Sérgio Moro

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A Polícia Federal encaminhou, nesta terça-feira (23), manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que informa que não há nenhum inquérito aberto para apurar a vida e a conduta do editor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald.

A manifestação da PF vem como resposta a uma ação ajuizada pela Rede Sustentabilidade, que questionava rumores sobre uma investigação sigilosa contra o jornalista por conta das matérias com diálogos entre o ex-juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato que vêm sendo divulgadas pelo The Intercept Brasil através da série Vaza Jato.

“Foram consultadas as áreas técnicas deste órgão policial, a saber, a Corregedoria-Geral de Policia Federal, a Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, a Diretoria de Inteligência Policial e a Superintendência Regional da Polícia Federal no Paraná, restando evidenciado que não há inquérito policial instaurado com o objetivo de apurar a conduta do jornalista Gleen Greenwald”, diz a nota da PF.

A informação de que não há inquérito aberto contra Greenwald vem no mesmo dia que a mesma PF deflagrou uma operação contra supostos hackers que prendeu quatro pessoas em São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

Em nota, a PF não confirmou que a operação estivesse ligada a uma suposta invasão ao celular de autoridades, se limitando a informar que o objetivo era desestruturar uma organização criminosa que cometia crimes cibernéticos. Fontes informaram à Fórum, no entanto, informaram que a ação tinha, sim, ligação com o caso.

Prisão “forjada” de hacker já era prevista

Há pouco mais de uma semana, no dia 15 de julho, o editor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, afirmou que fontes próximas informaram que a Polícia Federal estava planejando “forjar” a prisão de um hacker que confessaria que adulterou conversas, com o objetivo de criminalizar a série de reportagens Vaza Jato.

“Apesar da abundância de provas da autenticidade do material, publicadas pelos diferentes veículos, diversas fontes disseram ao Intercept ao longo dos últimos dias que a Polícia Federal, durante o afastamento do ministro Sergio Moro, está considerando realizar essa semana uma operação que teria como alvo um suposto ‘hacker’, que supostamente seria a fonte do arquivo. Esse suposto hacker seria estimulado a “confessar” ter enviado o material ao Intercept e que esse material teria sido adulterado”, explicou o site em editoral.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum