No rastro do óleo do Nordeste
08 de novembro de 2019, 13h04

Polícia armada bate à porta de Luis Nassif para intimar sobre vídeo com críticas a Wilson Witzel

Governador do Rio pede explicações sobre um vídeo em que é chamado de "genocida" pelo jornalista

Foto: Reprodução

O jornalista Luis Nassif fez uma transmissão ao vivo nesta sexta-feira (8) revelando que dois policiais civis de São Paulo foram até sua casa na quinta-feira (7) para apresentar uma intimação do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sobre um vídeo do jornalista em que é chamado de “genocida”.

“O que é genocida? Genocida é o sujeito que é responsável pela proliferação de mortes instintivamente. Esse é o conceito de genocida”, explica o jornalista, que pede desculpas ao governador se a palavra o ofendeu.

Em seguida, Nassif reconhece a validade do termo e defende seu ponto de vista. “O que ele fez? Assumiu o Rio, estimulou a polícia a sair matando, foi alertado por muitos setores, especialistas, jornalistas, que isso vai estimular uma matança indiscriminada”. O jornalista também menciona que Witzel autorizou a polícia a matar no estado e que daria todo o apoio a tais episódios.

“Não há diferenças entre ele e Bolsonaro, Sergio Moro… Mas continuamos aqui na trincheira dos direitos humanos, do direito a vida, e repetindo uma coisa que é de uma obviedade avassaladora: o governador Witzel é um genocida”, finaliza o jornalista, reforçando a opinião que deverá defender perante à polícia.

Os policiais que foram até a casa de Nassif são da Delegacia de Polícia de Investigações Interestaduais (Polinter) e atendem intimações de outros estados. O jornalista ligou para a delegacia para pedir esclarecimentos, e foi informado que se trata de uma intimação da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Confira o vídeo completo:


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum