Polícia encontra Lázaro, que se nega a negociar e foge para a mata, diz morador

Lázaro Barbosa estaria escondido na casa de uma ex-companheira em Águas Lindas de Goiás, mas teria fugido novamente para a mata. Polícia iniciou nova perseguição durante a madrugada

*Atualizada às 10h34 com informações sobre a morte de Lázaro Barbosa

No 20º dia de perseguição a Lázaro Barbosa, nesta segunda-feira (28), a polícia teria encontrado o criminoso na casa de uma ex-companheira dele em Águas Lindas de Goiás, no entorno do Distrito Federal. Lázaro, que ficou conhecido como matador do DF, foi morto horas depois após troca de tiros com a polícia, segundo o governador Ronaldo Caiado (DEM-GO).

Segundo moradores, Lázaro foi identificado na noite de domingo (27). A polícia foi chamada e teria iniciado uma negociação, mas o criminoso teria recusado e fugiu para a mata.

“Quando a polícia chegou, tentou negociar com ele, falaram: ‘Lázaro, conversa com a gente, vamos negociar’. Mas ele correu para o mato”, disse um morador ao portal G1.

Um grande número de policiais, com apoio de helicópteros, entraram na mata durante a madrugada para perseguir Lázaro. Eles teriam levado a mulher que lhe deu guarida na busca.

Cerco e morte
Após acompanhar policiais na perseguição, a ex-mulher de Lázaro foi levada à Central de Flagrantes da Polícia Civil para prestar depoimento por volta das 8h30 desta segunda.

Os policiais continuaram o cerco e teriam encontrado Lázaro por volta das 9h30. Segundo Caiado, que anunciou pelo Twitter primeiramente a prisão, o criminoso teria trocado tiros com os policiais. Durante entrevista à GloboNews, o governador goiano foi informado da morte do matador, que não teria resistido aos ferimentos.

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR