Fórumcast, o podcast da Fórum
28 de julho de 2019, 15h58

Polícia Federal está em busca dos invasores das terras indígenas Wajãpi, diz comunicado

Uma morte foi confirmada após invasão de garimpeiros

Neste domingo (28), os indígenas do Conselho das Aldeias Wajãpi divulgaram mais informações sobre a invasão de garimpeiros na aldeia Mariry, no Amapá, que ocorre desde sexta-feira (26).

No documento foi divulgado que, na segunda-feira (22), o chefe Emvra Wajãpi foi encontrado morto na região da aldeia Waseity, próxima à aldeia Mariry. A morte não teve testemunhas e os Wajãpis só receberam a notícia do assassinato do cacique na manhã de terça-feira (23).

Nos dias seguintes, os indígenas encontraram sinais de que a morte teria ocorrido fora da terra Wajãpi por não-indígenas.

Na sexta-feira, dia 26, os indígenas da aldeia Yvytõ, que fica na mesma região, encontraram um grupo de não-indígenas armados. Assim que souberam dos invasores eles notificaram as outras aldeias Wajãpi pelo rádio que compartilham entre si.

Durante a noite de sexta-feira, os invasores conseguiram entrar na aldeia Yvytotõ e uma das casas. Eles passaram então a ameaçar os moradores, que fugiram na manhã de sábado (27) para a aldeia Mariry.

Segundo a nota do Conselho das Aldeias Wajãpi, os indígenas notificaram a Funai e o Ministério Público Federal para que a Polícia Federal fosse acionada.

Durante a tarde de sábado (27), os representante da Funai foram até a aldeia Jakare para conversar com os parentes do chefe morto. Após a entrevista, voltaram para o Macapá e acionaram a Polícia Federal. Por conta da falta da PF, os guerreiros Wajãpi ficaram de guarda nas aldeias perto do local em que os invasores estavam.

O comunicado também diz que, durante a madrugada de sábado para hoje, tiros foram ouvidos na região da aldeia Jakare, junto à BR 210. Também foi divulgado que, na manhã deste domingo, um grupo da Polícia Federal e do BOPE chegou até as aldeias para prender os invasores, mas ainda não há mais informações.

Confira a nota completa:

NOTA DO APINA SOBRE A INVASÃO DA TERRA INDÍGENA WAJÃPI
Nós do Conselho das Aldeias Wajãpi – Apina queremos divulgar as informações que temos até agora sobre a invasão da Terra Indígena Wajãpi.

2ª feira, dia 22/07, no final da tarde, o chefe Emyra Wajãpi foi morto de forma violenta na região da sua aldeia Waseity, próxima à aldeia Mariry. A morte não foi testemunhada por nenhum Wajãpi e só foi percebida e divulgada para todas as aldeias na manhã do dia seguinte (3ª feira, dia 23). Nos dias seguintes, parentes examinaram o local e encontraram rastros e outros sinais de que a morte foi causada por pessoas não-indígenas, de fora da Terra Indígena.

6ª feira, dia 26, os Wajãpi da aldeia Yvytotõ, que fica na mesma região, encontraram um grupo de não-índios armados nos arredores da aldeia e avisaram as demais aldeias pelo rádio. À noite, os invasores entraram na aldeia e se instalaram em uma das casas, ameaçando os moradores. No dia seguinte, os moradores do Yvytotõ fugiram com medo para outra aldeia na mesma região (aldeia Mariry). No dia 26 à noite nós informamos a Funai e o MPF sobre a invasão e pedimos para a PF ser acionada. Na madrugada de sexta para sábado, moradores da aldeia Karapijuty avistaram um invasor perto de sua
aldeia.

No dia 27, sábado, nós começamos a divulgar a notícia para nossos aliados, na tentativa de apressar a vinda da Polícia Federal. Um grupo de guerreiros wajãpi de outras regiões da Terra Indígena foi até a região do Mariry para dar apoio aos moradores de lá enquanto a Polícia Federal não chegasse. No dia 27 à tarde, representantes da Funai chegaram à TIW e foram até a aldeia Jakare entrevistar parentes do chefe morto, que se deslocaram até lá. Os representantes da Funai voltaram para Macapá para acionar a Polícia Federal. Os guerreiros wajãpi ficaram de guarda próximo ao local onde os invasores se encontram e nas aldeias que ficam na rota de saída da Terra Indígena. Durante a noite, foram ouvidos tiros na região da aldeia Jakare, junto à BR 210, onde não havia nenhum Wajãpi.

No dia 28 pela manhã um grupo de policiais federais e do BOPE chegou à TIW e se dirigiu ao local para prender os invasores. Isso é o que sabemos até agora. Quando tivermos mais informações faremos
outro documento para divulgação.

Posto Aramirã – Terra Indígena Wajãpi, 28 de julho de 2019.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum