Fórum Educação
31 de dezembro de 2019, 12h19

Polícia realiza operação para prender autor de atentado contra Porta dos Fundos

Na sua casa foram apreendidos R$ 119 mil

Foto: Reprodução

Eduardo Fauzi Richard Cerquise, um dos cinco suspeitos de terem cometido o atentado contra a produtora do Porta dos Fundos foi identificado pela Polícia do Rio e é considerado foragido. Uma operação, na manhã desta terça-feira (31), fez busca em dois endereços comerciais e dois residenciais, na Zona Sul, no dia 24 deste mês.

Os agentes percorreram ruas da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e da Zona Norte e Centro da cidade para tentar cumprir o mandado de prisão contra Cerquise, mas ele não foi encontrado.

Na casa do suspeito, na Barra da Tijuca, foram apreendidos R$ 119 mil, munição, uma arma falsa, computador e uma camisa de entidade filosófica e política.

Foto: Divulgação Polícia Civil

Cerquise foi identificado por câmeras de segurança após retirar o capuz momentos depois do ataque, no dia 24 deste mês. Para identificá-lo, a polícia utilizou imagens de mais de 50 câmeras de segurança do bairro.

Em um dos vídeos, obtidos pela TV Globo, é possível ver Eduardo retirando um adesivo da placa do carro usado no crime, um Ecosport 2011, e andando pela rua Martins Ferreira, em Botafogo, sem a touca ninja. As imagens foram registradas logo após o ataque. O veículo estava no nome de um homem morto em 2006.

“O Eduardo tem um perfil violento, antagônico. Ele tem livros ligados à religião cristã e ao islamismo. Ele é empresário, de classe média alta”, disse o delegado Marco Aurélio de Paula Ribeiro, titular da 10ª DP (Botafogo), quando questionado sobre o perfil do investigado.

Agressão em 2013

Eduardo é o mesmo que, em 2013, agrediu o então secretário de Ordem Pública do Rio de Janeiro, Alex Costa, durante a interdição de um estacionamento irregular no Centro do Rio. Na ocasião, ele se disse procurador do dono do terreno, aproveitou as câmeras ligadas para se aproximar do secretário pelas costas e agredi-lo com um tapa na cabeça, logo no início de a entrevista coletiva convocada pela Prefeitura.

Durante a agressão, enquanto Costa falava, Eduardo gritou “é mentira”.

Com informações do G1

 

POrta dos Fundos


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum