Professor de escola estadual de SP se masturba durante aula online; polícia investiga o caso

O Centro Paula Souza, que administra as Etecs, informou que o professor foi afastado; alunos que presenciaram o ato criaram abaixo-assinado pela demissão do docente

Um caso que chocou estudantes da Escola Técnica Estadual (Etec) Parque da Juventude, da Zona Norte de São Paulo, veio à tona essa semana. Um professor da unidade se masturbou em frente à câmera durante uma aula online ministrada em maio.

O episódio ganhou repercussão nesta quinta-feira (18) após um comunicado oficial do Centro Paula Souza, que administra as Etecs, informando que o professor, identificado como Cleber Batista Souza, foi afastado.

Alunos que presenciaram o ato obsceno criaram um abaixo-assinado, já subscrito por centenas de pessoas, pedindo a demissão do professor, e foi criada também a hashtag #etecscontraoassedio. Vídeos que comprovam que o professor se masturbou na frente dos estudantes circulam pelas redes sociais.

“O Centro Paula Souza repudia qualquer forma de desrespeito ou assédio e informa que todas as denúncias recebidas oficialmente na instituição são analisadas para que providências cabíveis sejam aplicadas, quando comprovadas procedentes”, informou a instituição na nota divulgada nesta quinta-feira.

Um boletim de ocorrência contra o professor foi registrado no 9º Distrito Policial do Carandiru, e a Polícia Civil agora investiga o homem, que responde à investigação em liberdade.

Confira, abaixo, a íntegra da nota do Centro Paula Souza sobre o caso.

“O Centro Paula Souza informa que a direção da Etec Parque da Juventude, assim que tomou ciência do ocorrido, excluiu o professor da plataforma de aulas online, no próprio dia 13 de maio. o centro paula souza abriu processo administrativo contra o profissional e determinou o seu imediato afastamento, com publicação no Diário Oficial do Estado no dia 16 de maio de 2020.

A diretoria da unidade também registrou boletim de ocorrência para que o professor responda criminalmente pelo ato. O processo administrativo, com todos os documentos e provas anexados, foi encaminhado à Procuradoria de Procedimentos Disciplinares, da Procuradoria Geral do Estado, a quem cabe decidir pela demissão do professor.

Publicidade

O Centro Paula Souza repudia qualquer forma de desrespeito ou assédio e informa que todas as denúncias recebidas oficialmente na instituição são analisadas para que providências cabíveis sejam aplicadas, quando comprovadas procedentes.”

Publicidade


Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR