Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de dezembro de 2019, 23h47

Relatório internacional aponta que universidades do Brasil têm liberdade de pensamento ameaçada

A atual posição do país se deve a um aumento significativo nas pressões de motivação política em instituições de ensino nacionais, incluindo ameaças e ataques a estudantes, que integram minorias

Foto: Divulgação

O relatório internacional Free to Think 2019, produzido no projeto Academic Freedom Monitoring (Monitoramento da Liberdade Acadêmica), aponta que o Brasil entrou em uma lista nada agradável de países nos quais a liberdade de pensamento nas universidades está sob risco, de acordo com reportagem de Luiza Caires, do Jornal da USP.

A atual posição do Brasil se deve a um aumento significativo nas pressões de motivação política em instituições de ensino nacionais, incluindo ameaças e ataques a estudantes, que integram minorias, e propostas de legislação que colocam em risco autonomia, atividades e valores das universidades.

Não é sócio Fórum? Quer ganhar 3 livros? Então clica aqui.

De acordo com o documento, os problemas se ampliaram já no período que antecedeu as eleições de 2018, com universidades e seus integrantes sendo alvos de “altos níveis de pressão política e ideológica, incluindo ataques físicos”. A situação prosseguiu e piorou depois do processo eleitoral.

Uma preocupação que aparece no relatório é em relação a um decreto do governo de Jair Bolsonaro, que permite ao Poder Executivo vetar indicações para autoridades universitárias e, em contrapartida, confere ao Executivo a possibilidade de nomear reitores, vice-reitores e outros funcionários das universidades federais, o que prejudica a autonomia das instituições.

Ataques pelo mundo

O relatório, da organização Scholars At Risk (SAR), de Nova Iorque (EUA), analisa 324 ataques a comunidades de ensino superior, que aconteceram em 56 países, entre setembro de 2018 e agosto de 2019.

O documento descreve, ainda, agressões e inúmeros atentados, que provocaram a morte de professores e estudantes no Afeganistão; prisões e processos ilegais de pesquisadores na Turquia e no Sudão; pressões de vários tipos sobre a liberdade de expressão de estudantes envolvendo mais de 100 ocorrências documentadas no mundo.

Além disso, foram registrados, também, relatos de restrições às viagens acadêmicas, especialmente por parte de autoridades dos Estados Unidos, Israel e China.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum