Entrevista exclusiva com Lula
17 de novembro de 2019, 21h40

Restaurante Barravento na Bahia constrange casal homoafetivo e depois de denúncia pública pede desculpas

Uma das vítimas conta que o gerente do restaurante alegou ser um ambiente "familiar" e pediu que as duas parassem com as demonstrações de afeto

Reprodução/Instagram

Um casal de mulheres foi vítima de homofobia no restaurante Barravento, em Salvador, na Bahia. Em publicação nas redes sociais, uma das vítimas, Gabriella Garrido, afirma que estava no estabelecimento quando o gerente abordou o casal e solicitou que as duas diminuíssem suas demonstrações de carinho. Gabriella denunciou o estabelecimento, que, após sofrer linchamento nas redes sociais, soltou uma nota pedindo desculpas.

“O mesmo [gerente, “Sr. Aurélio”] informou que o Barravento era um restaurante familiar e que os carinhos trocados por nós duas não eram condizentes ao local e que de alguma forma incomodavam e agrediam os outros clientes, e como exemplo dele mesmo, as duas crianças que estavam na mesa atrás da minha não precisavam presenciar tal cena”, disse a vítima.

Gabriella ainda conta que alguns clientes do restaurante se solidarizaram com elas no momento do ocorrido. “Alguns clientes que se encontravam no local no momento, se dirigiram até a mim e com uma delicadeza tão simples e tão carinhosa apenas perguntaram ‘Posso lhe dar um abraço?’, disse.

“Parece pouco? Mas não foi, foi bem importante na verdade. Como uma deles mesmo alegou, ‘Como pode, vocês duas não poderem se beijar enquanto eu e meu marido podemos?’ Não sei, acho que essa é a pergunta que apenas o Sr. Aurélio e o Restaurante Barravento pode responder”, finalizou.

Após o ocorrido, ela afirma que registrou ocorrência no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, além de ter registrado boletim de ocorrência na delegacia da Barra, em Salvador. Gabriella ainda afirmou que o funcionário foi visto ainda fazendo piada com a situação.

“Mesmo na presença dos policiais, em nenhum momento o ofensor demonstrou arrependimento, ao contrário, foi visto por minha namorada fazendo piada com a situação na saída da cozinha”, escreveu.

Em nota, o Restaurante Barravento lamentou o ocorrido. “O estabelecimento repudia qualquer ato discriminatório, seja ele homofóbico, racista, de gênero ou social. Acredita e prega o livre respeito a todxs. Por isso, pede desculpas a quem tenha se sentido ofendido”.

O estabelecimento afirma ainda que toda a equipe de atendimento passará pelo programa de Combate à LGBTfobia institucional Municipal de Salvador.

Confira o relato completo:

View this post on Instagram

AMBIENTE HOMOFÓBICO Boa tarde a todos, acabo de sofrer um ato de homofobia neste nosso BAHIANO restaurante local chamado Barravento, localizado na Av. Oceania no bairro da Barra em Salvador. Não tenho palavras para descrever esse momento. Tão injusto e tão sofrido. Tudo o que posso falar é, compartilhem e me ajudem a não permitir que isso continuem a acontecer. ————— Boa noite Gostaria de nesse momento, após todos os trâmites legais terem sido realizados, descrever a todos o ocorrido nesta tarde de feriado. Era para ser apenas um feriado agradável, num restaurante tradicional de salvador. Eu estava acompanhada de minha namorada no Restaurante Barravento quando o Sr. “Aurelio“ que se auto intitulou como gerente do estabelecimento, nos abordou solicitando que os os contatos entrem nós duas fossem contidos, essa é a melhor forma que eu consigo relatar o que foi dito pelo mesmo. Seguindo um pouco mais, o mesmo informou que o Barravento era um restaurante familiar e que os carinhos trocados por nós duas não eram condizentes ao local e que de alguma forma incomodavam e agrediam os outros clientes, e como exemplo dele mesmo, as duas crianças que estavam na mesa atrás da minha não precisavam presenciar tal cena. Tudo isso foram palavras dele, mas tudo isso foi sentido por mim. Não tenho palavras para descrever o que senti e o que sinto ainda após tudo isso. Acreditamos que a homofobia, o preconceito e o racismo está tão longe de nós, mas na verdade está tão perto. E para quem nunca sofreu como eu até algumas horas atrás eu lhes digo, doe e doe muito. Por isso eu agradeço as mensagens de apoio, agradeço ao carinho recebido pelos amigos e familiares, mas também pelos desconhecidos. Alguns clientes que se encontravam no local no momento, se dirigiram até a mim e com uma delicadeza tão simples e tão carinhosa apenas perguntaram “Posso Lhe dar um abraço?”. Parece pouco? Mas não foi, foi bem importante na verdade. Como uma deles mesmo alegou, “Como pode, vocês duas não poderem se beijar enquanto eu e meu marido podemos? “ Não sei, acho que essa é a pergunta que apenas o Sr. Aurélio e o Restaurante Barravento pode responder.

A post shared by Gabriella Garrido (@gsgarrido) on


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum