Rodrigo Constantino sobre caso Carrefour: “Esquerda tenta explorar como mártir um monstro”

Jornalista de extrema-direita usa novas imagens para insistir na tese de que não houve racismo no assassinato de João Alberto

O jornalista Rodrigo Constantino voltou a tentar justificar, neste sábado (21), em sua conta do Twitter, o brutal assassinato de João Alberto, um homem negro, por seguranças brancos da rede Carrefour.

Para o jornalista, “a ficha corrida do sujeito, que pelo visto gostava de espancar mulheres, serve para mostrar que a esquerda tenta explorar como mártir um monstro”.

Constantino usa como justificativa uma das imagens das câmeras de segurança da loja, onde João Alberto, ao ser conduzido para fora, dá um soco em um dos agentes.

Para ele, “se essas imagens são mesmo de como tudo começou (e é preciso provar), então fica claro que a reação excessiva não teve nada a ver com racismo”.

“Se essas imagens são mesmo de como tudo começou (e é preciso provar), então fica claro que a reação excessiva não teve nada a ver com racismo. Não, isso NÃO justifica ou inocenta o segurança. Mas muda totalmente a narrativa da mídia canalha. É a tal circunstância…

A ficha corrida do sujeito, que pelo visto gostava de espancar mulheres, serve para mostrar que a esquerda tenta explorar como mártir um monstro, mas os seguranças não tinham como saber disso na hora. Essas imagens, porém, dão o motivo da reação, ainda que não a justifiquem.”

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.