Sara Winter diz que vai processar médico que fez aborto autorizado em menina de 10 anos

Bolsonarista, que ocupou cargo no ministério de Damares Alves, cometeu crime por divulgar nome da menina de 10 anos que engravidou após sofrer estupros por 4 anos do tio e teve autorização da Justiça para interromper gestação

Após cometer crime ao divulgar o nome da menina de 10 anos que engravidou depois ser vítima por 4 anos de estupros cometidos pelo tio, a bolsonarista Sara “Winter” Geromini anunciou em seu site que vai processar “até o último fio de cabelo” o médico que fez o aborto legal na criança.

Leia também
Sara Winter comete crime e divulga dados de menina de 10 anos que engravidou após estupro
“Cachorras no cio”: Mulher “cristã conservadora” culpa menina de 10 anos pelos 4 anos de estupro

“Iremos processar até o último fio de cabelo do médico que matou a bebê de nova meses e agora irá torturar a criança de 10 anos com um parto prematuro forçado”, disse a ex-funcionária do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que durante todo o domingo (16) incitou grupos de fanáticos a fazerem atos em frente ao hospital onde a menina passou pelo procedimento em Pernambuco.

https://twitter.com/SaraWinter_/status/1295171782127824896

Segundo o advogado Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Estadual de Direitos Humanos (Condepe) e ex-integrante do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Sara Winter, que está sob monitoramento judicial com tornozeleira eletrônica, cometeu diversos crimes ao divulgar o nome da menina.

“Ela violou o direito ao respeito, previsto na Constituição Federal e no ECA, e também está incitando crime. Incitando as pessoas a irem ao hospital para praticarem violência contra a criança e os profissionais da saúde que irão atender ela”, afirmou o advogado, especialista em direitos humanos pela PUC- SP.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.