Sargento da PM tem surto psicótico e mata os próprios pais em São Paulo

Os pais do sargento Edson Nogueira de Almeida tinham mais de 70 anos

O sargento da Polícia Militar Edson Nogueira de Almeida teve um surto psicótico e matou os pais, por volta das 18h30 deste domingo (18), na zona leste de São Paulo.

De acordo com informações do SBT News, os vizinhos ouviram gritos e acionaram a PM, que ao chegar no local trocou tiros com o sargento, que foi alvejado e morto. A filha do sargento, no entanto, informou à Fórum que foi a própria família que acionou os policiais.

Tanto o sargento quanto os pais foram socorridos no Pronto-Socorro do Hospital Santa Marcelina, na Vila Carmosina, na zona leste de São Paulo, mas vieram a óbito.

O sargento, que segundo sua filha estava afastado por tempo de serviço, tomava remédio controlado e teve um surto. Ele atirou contra os próprios pais, os dois com mais de 70 anos. A PM informa ainda que o sargento tentou se matar, mas como não conseguiu, resolveu enfrentar os policias e acabou alvejado e morto.

Um agente do 63º Distrito Policial informou que o caso deve ser investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), localizado no Centro de São Paulo. 

*Matéria atualizada às 17h08 em 21/07/21 para correção de informação. Após a publicação da matéria, a filha do sargento entrou em contato com a Fórum informando que, diferente do que havia sido veiculado, ele não havia sido afastado por problemas psicológicos, mas estava afastado por tempo de serviço. Ela informou, também, que foi a própria família quem acionou a polícia, e não os vizinhos.

Publicidade
Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR