Entrevista exclusiva com Lula
15 de fevereiro de 2018, 15h32

Selfie racista de folião gera demissão: “Não nos interessa funcionário com este perfil”

Um folião branco de Vitória (ES) tirou uma selfie com um grupo de jovens negros durante um bloco de carnaval e, na legenda, sugeriu que eles roubariam seu celular. Após a repercussão, um dos sócios da empresa que trabalhava, que inclusive é negro, veio à público repudiar o gesto e anunciar sua demissão

Reprodução/Facebook

Um gesto racista no Carnaval deste ano que gerou enorme repercussão nas redes sociais não passou impune. Fórum noticiou nesta quarta-feira (14) a situação de preconceito vivida por um grupo de amigos durante um bloco na última segunda-feira (12) em Vitória (ES). Um homem branco havia pedido para tirar uma foto com Iarley Duarte e seus amigos, todos negros e, na legenda da foto, o homem escreveu: “Vou roubei seu celular”, sugerindo que os jovens seriam assaltantes.

Iarley denunciou o caso no Facebook e falou à Fórum sobre o gesto racista que foi alvo: “Ficamos com muita raiva, indignados, tristes e revoltados pelo gesto, pela discriminação por conta da nossa cor e pela nossa classe social”.

Com a repercussão, o autor da foto, que tinha um perfil – já deletado – no Instagram de “@lucasalmeid4_” , acabou sendo localizado e um dos sócios da empresa em que trabalha veio à público na noite de quarta-feira (14) para repudiar o gesto e anunciar a demissão do rapaz – que é estudante de Educação Física e, até então, estagiário na empresa Studio Vitória.

Pelo Facebook, o sócio-proprietário da Studio Vitória, Fabrício Afonso, que também é negro, fez um contundente depoimento sobre o caso, inclusive narrando suas origens periféricas e sua luta para chegar até o posto que ocupa.

“Eu, Fabrício Affonso, negro, nascido em bairro de periferia da cidade de Alegre, sócio-proprietário da empresa Studio Vitória, considero inadmissível a conduta de qualquer funcionário da empresa nesse sentido. Sei o quanto a minha cor é carregada de estigma e sei quantas barreiras tive que enfrentar para chegar aonde cheguei”, escreveu.

No texto, Fabrício deixou claro que a empresa não se interessa “por funcionários com este perfil” e que tomará todas as medidas cabíveis com relação ao caso.

Confira a íntegra.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum