Taís Araújo sugere boicote às empresas que cometem crimes de racismo

"É preciso que repensemos se vale a pena continuar enriquecendo empresas que tratam as pessoas dessa forma", afirmou a atriz após a morte de João Alberto

A atriz Taís Araújo foi às redes sociais nesta sexta-feira (20) para protestar contra o assassinato de João Alberto em Porto Alegre. A artista sugeriu boicote às empresas que cometem crimes de racismo, como foi o caso do Carrefour.

“Qual é o critério usado para proteger as pessoas? Não dá pra se sentir seguro! É preciso que repensemos se vale pena continuar enriquecendo empresas que tratam as pessoas dessa forma, principalmente aquelas que são vítimas de crimes como o racismo”, escreveu a atriz no Twitter.

“Os espaços comerciais e as empresas de segurança precisam repensar o sentido de proteção urgente! O significado de segurança é proteger ou matar?”, afirmou em outro trecho.

Após o assassinato João Alberto no Carrefour de Porto Alegre, na véspera do Dia da Consciência Negra, internautas passaram a mobilizar um boicote ao hipermercado.

A filósofa, escritora e ativista Sueli Carneiro foi uma das pessoas que aderiu ao movimento. Ela postou na sua conta do Twitter, nesta sexta-feira (20), foto do seu cartão Carrefour partido ao meio.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.