Testemunha de Daniel Silveira chama autoridades de “estrume” e ataca ministro do STF; veja vídeo

Em depoimento ao Conselho de Ética da Câmara, Elitusalém de Freitas, major da reserva e ex-vereador pelo PSC, também defendeu a prisão de integrantes da CPI do Genocídio

O major da reserva da Polícia Militar, Elitusalém de Freitas, ex-vereador pelo PSC, foi indicado pelo deputado federal bolsonarista, Daniel Silveira (PSL-RJ), para ser sua testemunha na acusação de incitação à violência e ameaças que fez, principalmente contra o Supremo Tribuna Federal (STF), em maio de 2020, de acordo com informações de Evandro Éboli, em O Globo.

Durante depoimento, na quarta-feira (9), ao Conselho de Ética da Câmara, Elitusalém defendeu Silveira, fazendo críticas ao ministro Alexandre de Moraes, que determinou a prisão do deputado.

“O ministro Alexandre de Moraes viola diversas vezes a Constituição quando instaura um inquérito que não é da competência dele”, declarou a testemunha.

“Autoridades que se portam como um pedaço de estrume, a senhora, com todo respeito, não me entenda mal, têm que ser tratadas pelo nome. E aí a gente vê uma vergonha que este país está passando, inclusive nesta CPI aí, onde autoridades que têm condutas deploráveis, que deveriam estar presas, estão inquirindo pessoas e se portando como juízes morais de alguém, onde não têm moral nenhuma para falar”, acrescentou, ainda, em resposta à relatora do caso, deputada Rosa Neide (PT-MT).

Marielle

Também testemunha de Daniel, o estudante de Direito João Daniel Silva, chegou a defender o gesto do deputado de quebrar uma placa com o nome de Marielle Franco, na campanha eleitoral de 2018.

“O deputado também é processado aqui por ter quebrado a placa de Marielle, coisa que eu teria feito também… Daniel Silveira não era deputado quando quebrou magistralmente a placa da senhora Marielle Franco, não porque era a placa com o nome dela jamais. Respeitamos aqui todo e qualquer ser humano. Mas porque era uma placa falsa que estava ali sobre uma placa verdadeira no centro histórico do Rio de Janeiro”, disse.

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) criticou a conduta das testemunhas e disse a Daniel Silveira: “O senhor traz testemunhas que, em vez de testemunhar que Vossa Excelência é uma pessoa afável em outros momentos ou alguma coisa que minimize a potência da agressividade, Vossa Excelência traz testemunhas que são sua imagem e semelhança, que têm a mesma linguagem”, afirmou.

Veja a íntegra dos depoimentos:

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.