Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de março de 2018, 18h09

UFRJ terá central para monitorar intervenção militar no Rio de Janeiro

Especialistas em Direito, segurança pública e direitos humanos farão parte de núcleo de estudos, atuando junto a movimentos sociais

Um grupo de trabalho promoveu uma reunião, que foi um desdobramento do manifesto publicado na semana passada – Foto: Divulgação/IBGE

Professores, estudantes e técnicos-administrativos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão organizando a formação de um núcleo para monitorar a intervenção federal e militar no Rio de Janeiro, principalmente nas favelas. Com nome provisório de Central de Supervisão das Garantias dos Direitos Fundamentais, a iniciativa foi apresentada pelo reitor, Roberto Leher, em uma sessão de trabalho no campus da Praia Vermelha, com membros da comunidade universitária, artistas e movimentos sociais.

Segundo informações da UFRJ, a reunião foi um desdobramento do manifesto publicado na semana passada por mais de 300 professores, juristas, intelectuais e ativistas, criticando a intervenção. A versão online do documento tem mais de 2.500 assi aturas.

De acordo com o reitor, o monitoramento da intervenção “decorre de uma preocupação institucional da universidade”. A possível violação das garantias constitucionais dos moradores foi um alerta recorrente feito por estudiosos e movimentos como a Federação de Favelas do Estado do Rio de Janeiro (Faferj).

Para os próximos dias, a mobilização formada na UFRJ programa uma série de ações. Os principais encaminhamentos são: criação da Central de Supervisão das Garantias dos Direitos Fundamentais (nome provisório); reunião da reitoria com reitores de universidades públicas federais do Rio de Janeiro; reunião com movimentos sociais para alinhar agendas; organização de suporte para que moradores possam encaminhar denúncias de violações de direitos; incorporação da UFRJ a grupos de trabalhos já existentes; participação de ato de lançamento da Frente contra a intervenção na UERJ, no dia 13/3, às 17h30, no Auditório 11; organização de grupos de estudos sobre direitos humanos e violência, avaliando aspectos geopolíticos internacionais, em articulação com outras instituições de ensino e pesquisa.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum