Vídeo: Lázaro Barbosa trocou tiros com a polícia, foi baleado e morto, diz Caiado

Segundo governador de Goiás, Lázaro entrou em confronto com policiais e foi baleado. Ele não teria resistido aos ferimentos e morreu a caminho do hospital

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM-GO), afirmou que Lázaro Barbosa foi baleado durante a captura na manhã desta segunda-feira (28). Ele teria trocado tiros com policiais que faziam a perseguição. Durante a entrevista na GloboNews, o governador foi informado que o criminoso havia morrido a caminho do hospital.

“A informação que recebi que houve confronto, teve troca de tiros e Lázaro foi baleado. Fui informado pelo Rodney [Miranda], secretário de segurança do estado. Ele estava se deslocando para a cidade de Cocalzinho”, disse Caiado, antes de confirmar a morte de Lázaro.

Informações do repórter Renato Souza, do Correio Braziliense, confirmaram, no entanto, que Lázaro não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. A GloboNews também recebeu a confirmação da Polícia Civil.

Lázaro foi preso por volta das 9h40 na região do Setor Itamaracá, que fica em torno de 20 km da base da sede da força-tarefa, em Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás.

Segundo moradores, Lázaro estava na casa da ex-mulher na noite deste domingo (27) quando policiais foram avisados e teriam tentado negociar sua rendição. No entanto, o criminoso teria fugido para a mata no entorno.

Um grande número de policiais, com apoio de helicópteros, entraram na mata ainda durante a madrugada para perseguir Lázaro. Eles teriam levado a mulher que lhe deu guarida na busca.

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR