Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de julho de 2019, 11h47

Vídeo: Marido de ativista trans é agredido e preso por PMs em Pernambuco; ela relata extorsão

A ativista Angela Oliveira usou as redes sociais para denunciar agressões que seu marido sofreu em delegacia de Pernambuco. Ela diz que vem sofrendo ameaças, mas não conseguiu apoio nem mesmo do Ministério Público e da Polícia Federal

Marido de ativista trans é agredido por PM em Pernambuco (Reprodução)

A ativista trans Angela Oliveira relatou em uma sequência de tuítes nesta quinta-feira (18), que ela e seu marido foram vítimas de agressão por parte de policiais militares em Pernambuco. Em vídeo publicado na rede social, o esposo de Angela aparece levando uma gravata de PMs ao ser levadopara uma delegacia, segundo ela, simplesmente por ser companheiro de uma mulher trans.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Angela relata que foi até o posto policial em busca de proteção por estar sendo perseguida por moradores do bairro em que morava, mas acabou vendo seu marido sofrendo agressões físicas e sendo presa e extorquida por policiais. O delegado teria pedido pagamento de dois mil reais após uma agressão forjada contra um policial e provocado: “Você se acha tão vítima, mas olha o que seu companheiro está passando por estar com você”.

O caso aconteceu na delegacia de Maria Farinha, localizada na cidade de Paulista (PE), região metropolitana de Recife. Segundo Angela, os policiais também impediram o registro de Boletim de Ocorrência.

Veja também:  Moro é humilhado por Bolsonaro e Dallagnol ataca presidente em entrevista

Ela também relatou que buscou órgãos como o Ministério Público, a Assistência Social e a Polícia Federal, mas nada foi feito até o momento. “Foram na minha casa e nada até agora foi feito, infelizmente. E a delegacia de Maria Farinha, polícia que deveria me dar proteção, é a mesma que me agride e ameaça”, publicou.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum