Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
23 de fevereiro de 2020, 14h16

Vídeo: Polícia prende camelô que trabalhava no Carnaval do Rio para comprar material escolar para o filho

Policiais usaram de extrema violência para levar o trabalhador para dentro de um furgão com as placas ocultadas por um plástico vermelho. Depois, se negaram a responder perguntas das pessoas que tentaram ajudar o detido

Veículo sem placa utilizado em detenção violenta de ambulante, no Rio (foto: reprodução)

A Polícia do Rio de Janeiro protagonizou, neste domingo (23), mais uma ação de brutal repressão contra um trabalhador.

Desta vez, em pleno carnaval, no Centro da cidade, e debaixo de chuva, os policiais prenderam um camelô. Segundo testemunhas, o homem detido era um conhecido ambulante que trabalha no carnaval, e queria vender seus produtos para poder comprar o material escolar do seu filho.

O protesto das pessoas que tentaram impedir a prisão não foi capaz de frear o ímpeto dos policiais, que contaram com a ajuda de agentes da Prefeitura do Rio de Janeiro, da administração de Marcelo Crivella. Tampouco aceitaram que o homem pudesse ir acompanhado da esposa e uma testemunha.

O fato mais estranho, porém, foi o fato de o trabalhador ser levado por um furgão cinza, com as placas ocultadas por um plástico vermelho. Na pintura, o veículo tinha o logo da empresa JF Transportes & Turismo, e os telefones (24) 97401-5897 e (24) 3348-7179.

As testemunhas da prisao arbitrária o ambulante questionaram os policiais sobre a razão do veículo ter o número da placa escondido, mas não obtiveram resposta.

A utilização de veículos com as placas ocultadas ou adulteradas era uma prática comum na época da ditadura, e reproduzida em quase todos os regimes militares da América do Sul, entre os Anos 60 e 80.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum