Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
29 de Maio de 2019, 19h07

Você está a quantas gerações da escravidão?

Quase todos os brasileiros têm antepassados que foram escravizados; nesta quarta-feira (29), internautas responderam à pergunta e formaram uma grande corrente no Twitter de memória aos seus ascendentes. Confira

Carnaval Rio 2018 - Desfile na Sapucaí - Paraíso do Tuiuti - Grupo Especial - Foto: Gabriel Nascimento | Riotur

A jornalista Cecília Olliveira compartilhou na terça-feira (28), em seu Twitter, o questionamento levantado pelo professor americano Jelani Cobb: “Você está a quantas gerações da escravidão?”.

“Eu estou a 4. Procurei e não achei dados do meu bisavô em cartórios. Ele não tinha registro de nascimento. Seu Geninho era Rei do Congado em Divinópolis (MG). Ele e meu pai morreram cedo, antes de eu saber fazer as perguntas…”, respondeu Cecília.

A resposta da jornalista deu início a uma grande “corrente” de respostas de internautas sobre seus antepassados escravizados e o resultado gerou uma reflexão sobre o racismo no Brasil.

Confira alguns relatos.

“Tenho 58 anos, minha bisavó Januária morava conosco e dela ouvi histórias da fazenda onde nasceu, filha de uma escrava. Ela morreu em 1976 aos 104 anos. Fumava cachimbo e gostava de dormir num colchão de palha, preta velha legítima vestidinha de chita”.

“Depende. Teoricamente meus tataravós de ambos os ladoa foram escravizados. Porém a família do meu pais viveu escravizada até 1964 em uma fazenda no interior de São Paulo. Portanto, a primeira geração livre de fato é a minha.”

“O único documento da minha bisavó era um recibo de compra e venda, onde era bem recomendada para mucama.”


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum