“Votei em Bolsonaro e me arrependi. Sou meio ignorante”, diz advogada do caso Prevent

Bruna Morato, que ganhou notoriedade na CPI após revelar detalhes de uma suposta conduta macabra por parte do Plano de saúde durante a pandemia, deu declaração ao UOL

Bruna Morato, a advogada que representa os médicos que trabalharam na Prevent Senior e que revelaram uma suposta conduta macabra da empresa durante a pandemia, realizando experimentos com seus pacientes idosos, afirmou numa entrevista concedida ao portal UOL, publicada nesta quarta-feira (6), que votou em Jair Bolsonaro para presidente na eleição de 2018 e deu uma justificativa, digamos, bastante sincera para a atitude.

“Votei em Bolsonaro e me arrependi. Pensei que ele seria como uma rainha da Inglaterra. Sou meio ignorante nesse sentido”, contou a advogada, justificando-se.

Na longa entrevista, Bruna revelou ainda suas origens, no bairro de Santana, na Zona Norte de São Paulo. Contou que foi criada por um casal idoso, seus avós paternos, e que o ‘pai-avô’ era um militar, que inclusive serviu à Ditadura Militar (1964-1985) durante a carreira, desmentindo as fake news espalhadas por bolsonaristas que diziam ser ela filha do presidente de uma associação de hospitais privados, que por acaso tem o sobrenome igual ao seu.

Trabalhando como consultora jurídica de alguns médicos da Prevent Senior desde 2014, Bruna falou que ficou assustada quando recebeu as primeiras informações sobre os procedimentos incomuns e ilegais que partiam do plano de saúde. Durante muito tempo, conta, reuniu provas para poder apresentá-las quando o escândalo viesse à tona.

Notícias relacionadas

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.