Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

11 de março de 2019, 15h26

Câmara barra proposta que previa doação compulsória de órgãos de mortos pela polícia

Ao avaliar o texto, técnicos da Câmara verificaram flagrante inconstitucionalidade na proposta do deputado que ficou conhecido por quebrar placa em homenagem a Marielle Franco

Daniel Silveira durante a campanha (Foto: Montagem/Reprodução)

Por “evidente inconstitucionalidade”, a Câmara dos Deputados barrou nesta segunda-feira (11) a proposta (PL 727/2019) do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) que previa a doação compulsória de órgãos e tecidos de pessoas mortas em confronto com a polícia. Silveira é o mesmo que destruiu uma placa em homenagem a vereadora do PSOL Marielle Franco.

Segundo técnicos da Câmara há “flagrante violação a princípios constitucionais, como Dignidade da Pessoa Humana, Presunção de Inocência e o Devido Processo Legal”.

“A Proposta desrespeita os familiares das vítimas de violência Policial”, avaliou ao blog Ariel de Castro Alves, especialista em Direitos Humanos e Segurança Pública pela PUC- SP. “Devemos levar em conta que parte significativa das pessoas mortas por policiais são inocentes e muitos agentes que matam forjam situações de confrontos, com apoio de seus colegas das corporações, e contam ainda com a complacência dos policiais e de instituições que deveriam apurar esses casos, prevalecendo o corporativismo”, disse.

Na justificativa apresentada para a cessão dos órgãos de mortos por agentes de segurança, Silveira justificou que a proposta teria caráter “humanitário” e “compensativo”.

Veja também:  Para Bolsonaro, críticas indicam que o filho é o nome adequado para embaixada

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum