Imprensa livre e independente
18 de novembro de 2016, 11h01

Campanha do Governo do Paraná expõe racismo institucional no setor de RH

Vídeo-campanha publicado na página oficial do Governo do Estado do Paraná mostra funcionários de Recursos Humanos analisando fotos de pessoas brancas e negras. A conclusão: há racismo institucional nas pequenas atitudes.

Vídeo-campanha publicado na página oficial do governo do estado do Paraná mostra funcionários de Recursos Humanos analisando fotos de pessoas brancas e negras. A conclusão: há racismo institucional nas pequenas atitudes Por Matheus Moreira Publicado nesta quinta-feira (17), o vídeo tem cerca de 2 minutos, mas é preciso e forte. Na produção, quatro funcionários de Recursos Humanos são convidados para um teste de análise fotográfica e ao verem fotos de pessoas brancas e pessoas negras, as reações são bastante distintas de uma raça à outra. A produção é parte da campanha “Chega de fingir que é normal”, do governo do...

Vídeo-campanha publicado na página oficial do governo do estado do Paraná mostra funcionários de Recursos Humanos analisando fotos de pessoas brancas e negras. A conclusão: há racismo institucional nas pequenas atitudes

Por Matheus Moreira

Publicado nesta quinta-feira (17), o vídeo tem cerca de 2 minutos, mas é preciso e forte. Na produção, quatro funcionários de Recursos Humanos são convidados para um teste de análise fotográfica e ao verem fotos de pessoas brancas e pessoas negras, as reações são bastante distintas de uma raça à outra. A produção é parte da campanha “Chega de fingir que é normal”, do governo do estado do Paraná.

A partir deste trecho da reportagem, é importante salientar que podem haver gatilhos para pessoas negras.

No vídeo, os funcionários foram apresentados a fotos de pessoas brancas cuidando do jardim, correndo, limpando a casa e de terno sobre a proposta de dizerem o que a foto os lembrava. Neste primeiro momento, as respostas foram algo como “um homem cuidando do seu jardim”, “uma mulher limpando sua casa”, “um homem atrasado” e “um executivo”.

Veja também:  Após ser agredido, padre Marcelo Rossi grava vídeo e diz que está bem: "Só umas dorzinhas"; assista

Se você está gostando desta matéria, apoie a Fórum se tornando sócio. Pra fazer jornalismo de qualidade nós precisamos do seu apoio.

A segunda parte do teste mostrava pessoas negras nas mesmas posições e com as mesmas roupas, praticando exatamente as mesmas ações das pessoas brancas da etapa anterior. O resultado você pode conferir no vídeo abaixo:

Arte: reprodução Governo do Estado do Paraná

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum