Imprensa livre e independente
09 de março de 2018, 12h42

Capital do Maranhão deixa a lista das cidades mais violentas do mundo

São Luís, que integrava o ranking em 2016, apresentou redução de crimes no ano passado, depois de investimentos do governo do estado na área de Segurança Pública

Os investimentos do governo de Fávio Dino em segurança foram decisivos para a diminuição da violência, principalmente dos homicídios – Foto: Karlos Geromy/Agência de Notícias do Governo do Maranhão De acordo com a organização de sociedade civil mexicana Segurança, São Luís, capital do Maranhão, deixou de figurar na lista das 50 cidades mais violentas do mundo. Os dados são referentes a 2017. A cidade, que integrava o ranking em 2016, apresentou redução de crimes no ano passado, depois de investimentos do governo do estado na área de Segurança Pública, segundo a Agência de Notícias do Maranhão. O novo cenário coloca...

Os investimentos do governo de Fávio Dino em segurança foram decisivos para a diminuição da violência, principalmente dos homicídios – Foto: Karlos Geromy/Agência de Notícias do Governo do Maranhão

De acordo com a organização de sociedade civil mexicana Segurança, São Luís, capital do Maranhão, deixou de figurar na lista das 50 cidades mais violentas do mundo. Os dados são referentes a 2017. A cidade, que integrava o ranking em 2016, apresentou redução de crimes no ano passado, depois de investimentos do governo do estado na área de Segurança Pública, segundo a Agência de Notícias do Maranhão. O novo cenário coloca a São Luís como o único município do Nordeste e um dos três do país a não constar na pesquisa.

A organização desenvolve o estudo anualmente e leva em consideração as taxas de homicídios por 100 mil habitantes em cidades com mais de 300 mil moradores, para medir o índice de violência. O Brasil conta com 17 municípios citados no levantamento. O governador Flávio Dino (PCdoB) comentou o fato, destacando o trabalho realizado pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA).

Veja também:  Para defender armamento, Major Olímpio diz que até "ursinho Pooh pega arma quando ouve barulho"

“É mais um resultado muito positivo nas últimas semanas. Colhemos uma série de resultados bons em rankings nacionais, e agora, este estudo internacional em torno das cidades mais violentas. A capital do Maranhão saiu desta lista após os investimentos em viaturas, efetivo, inteligência policial, seriedade e firmeza na condução da segurança. O Maranhão está fora desta lista, mostrando que uma organização internacional reconhece o trabalho que estamos fazendo na segurança pública”, avalia.

Segundo estatísticas da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, os dados convergem com a pesquisa, pois apontam diminuição gradativa nos casos de homicídios nos últimos três anos. “Esta modalidade é um dos principais desafios das gestões na contenção do crime e da violência, pois o homicídio leva a outras ocorrências. As medidas e operações de impacto desenvolvidas pelo sistema de segurança, com o total apoio do Governo do Maranhão, mostram os resultados reconhecidos mundialmente”, avalia o secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Os investimentos do governo maranhense foram decisivos para a diminuição da violência, principalmente dos homicídios. O Maranhão é o segundo estado do país que mais investiu em Segurança Pública, conforme reportagem da Folha de S.Paulo. A publicação destaca que, entre 2015 e 2017, houve ampliação de 26% nos investimentos na área, atrás apenas do Piauí.

Veja também:  Maranhão anuncia 80 vagas para intercâmbio no exterior com tudo pago

O número de homicídios na Grande São Luís caiu 40% em 2017, na comparação com 2014. Em fevereiro deste ano, a queda foi de 60% na comparação com o mesmo mês de 2014. Durante o Carnaval, quando há maior movimentação de pessoas e aumentam as ocorrências, pelo quarto ano consecutivo o circuito oficial organizado pelo governo do estado não apresentou registros.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum