Imprensa livre e independente
05 de julho de 2019, 12h42

Carta de Léo Pinheiro não convence ministros do STF sobre a imparcialidade de Moro

Os ministros consideram que o empresário não traz novidades a respeito do caso e tampouco se refere ao trabalho do juiz no caso, razão pela qual não influencia em nada no julgamento da liminar sobre a parcialidade ou não do ex-juiz da Lava Jato no processo que condenou Lula.

Trecho da carta de Léo Pinheiro publicada nesta semana na Folha de São Paulo (Foto: Reprodução)
A carta enviada nesta semana pelo empresário Léo Pinheiro parece não ter produzido o efeito esperado, ao menos entre aqueles ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) cuja tendência é contrária aos métodos que utilizava Sérgio Moro quando era o juiz estrela da Operação Lava Jato. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Na carta, Pinheiro reafirmou seu terceiro testemunho a respeito de Lula, dizendo que o apartamento não havia sendo vendido antes porque o ex-presidente seria o seu verdadeiro proprietário (versão que contradiz duas delações anteriores realizadas por ele mesmo)....

A carta enviada nesta semana pelo empresário Léo Pinheiro parece não ter produzido o efeito esperado, ao menos entre aqueles ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) cuja tendência é contrária aos métodos que utilizava Sérgio Moro quando era o juiz estrela da Operação Lava Jato.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Na carta, Pinheiro reafirmou seu terceiro testemunho a respeito de Lula, dizendo que o apartamento não havia sendo vendido antes porque o ex-presidente seria o seu verdadeiro proprietário (versão que contradiz duas delações anteriores realizadas por ele mesmo). Além disso, ele afirma que “não menti nem fui coagido”, pelos procuradores da Lava Jato a fazer a delação contra o ex-presidente.

Porém, os ministros que trabalham sobre o tema consideraram que a carta não acrescenta nenhuma novidade a respeito do que já foi dito pelo próprio Pinheiro sobre Lula e o caso em si, e tampouco serve como indício sobre a parcialidade ou não de Moro – que sequer é citado no texto, diga-se de passagem.

Veja também:  Saiba quem é Danilo Faggian, advogado que iniciou movimento de censura a Miriam Leitão

Os ministros do STF se reunirão no segundo semestre (ainda sem data especificada, mas se especula que seria entre o final de agosto ou começo de setembro) para avaliar se procede ou não a liminar apresentada pela defesa de Lula, que acusa parcialidade do então juiz Sério Moro ao conduzir o processo que condenou o ex-presidente.

Renato Rovai, editor da Revista Fórum, comenta no vídeo abaixo essa nova reportagem da parceria The Intercept e Veja. Assista:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum