Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

26 de março de 2019, 22h48

Cartas do Pai: “Tá na hora de acordar”

Todos os nossos avisos já foram comprovados. Mostramos que estávamos certos em todos eles. E somos nós que não entendemos de política?

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 26 de março de 2019.

Pai,

Eu não entendo algumas pessoas.

A gente fala, mostra as coisas e mesmo assim elas preferem não acreditar. E não é acreditar na minha palavra, não! Elas não acreditam nos fatos!

Fiz uma listinha aqui de alguns dos nossos avisos.

Nós avisamos que o Collor não valia nada em 1989, e eles disseram: Ah! Não, ele vai acabar com os marajás!

Nós avisamos que o Aécio era bandido, e eles novamente ignoraram: Mas ele quer combater a corrupção!

Nós avisamos que o Cunha era bandido, e eles disseram que eram milhões de Cunhas!

Nós avisamos que o Japonês da Federal era bandido, mas eles continuam fãs, mesmo depois dele condenado por formação de quadrilha!

Nós avisamos que o Temer era bandido, mas eles comemoraram sua posse: Deixem o Temer trabalhar!

Nós avisamos tanto, pai. E eles transformaram todos eles em ídolos…

Aí, quando eu digo que acredito na inocência do Lula, eu ouço dessas pessoas que eu não entendo de política, que eu estou defendendo bandido!

Veja também:  Moro pode ter autorizado informalmente grampo na cela de Alberto Youssef

Pai! Eles estão votando em bandidos há 30 anos!

Nós estamos avisando isso há 30 anos!

Todos os nossos avisos já foram comprovados. Mostramos que estávamos certos em todos eles. E somos nós que não entendemos de política?

Agora estão eles seguindo esse presidente, que vai comemorar o golpe de 64. Vai comemorar os assassinatos! Vai comemorar as torturas! Vai comemorar os estupros! Vai comemorar a inflação de 200% ao mês, que tinha na época!

Gente que continua apoiando um fã do torturador e estuprador Ustra. Um fã do estuprador e pedófilo Stroessner. Um fã de Pinochet!

Quando eles vão acordar, pai?

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.