Imprensa livre e independente
21 de maio de 2019, 18h01

Chico Buarque é o vencedor do Prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa

O cantor, escritor e compositor brasileiro foi escolhido de forma unânime como o vencedor pelo conjunto de sua obra; trata-se do mais importante prêmio literário dos países de língua portuguesa

Foto: Reprodução
O cantor, compositor e escritor brasileiro Chico Buarque foi eleito, na tarde desta terça-feira (21), o vencedor da 31ª edição do Prêmio Camões, considerado o mais importante prêmio literário dos países de língua portuguesa. O anúncio do vencedor foi feito pelo júri após reunião da sede da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. A vitória de Chico foi chancelada com a unanimidade dos votos dos jurados e o brasileiro receberá, como premiação, o equivalente a R$452 mil. Esta é a 13ª vez que um brasileiro vence o prêmio, mas é inédito o fato de o ganhador ser alguém ligado ao...

O cantor, compositor e escritor brasileiro Chico Buarque foi eleito, na tarde desta terça-feira (21), o vencedor da 31ª edição do Prêmio Camões, considerado o mais importante prêmio literário dos países de língua portuguesa. O anúncio do vencedor foi feito pelo júri após reunião da sede da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. A vitória de Chico foi chancelada com a unanimidade dos votos dos jurados e o brasileiro receberá, como premiação, o equivalente a R$452 mil.

Esta é a 13ª vez que um brasileiro vence o prêmio, mas é inédito o fato de o ganhador ser alguém ligado ao universo musical.

Chico foi escolhido pelo júri por conta do conjunto de sua obra. Ele já recebeu prêmios Jabuti pelos livros Leite Derramado (2009), Budapeste (2003) e Estorvo (1991). Em 1995, lançou Benjamin e em 2014, O Irmão Alemão.  Também escreveu as peças Ópera do Malandro e Gota d´Água, além da “novela pecuária” Fazenda Modelo. Em 2017, depois de seis anos, Chico Buarque lançou o álbum Caravanas, que teve turnê por todo o país e também chegou a Portugal.

Veja também:  Mais vazamentos sobre Moro e Lava Jato no programa de Reinaldo Azevedo

“Seu trabalho atravessou fronteiras e mantém-se como uma referência fundamental da cultura do mundo contemporâneo”, escreveu o júri em nota.

De férias em Paris, Chico ainda não comentou a notícia de sua vitória na premiação.

Os outros brasileiros a receber o Camões foram João Cabral de Melo Neto (1990), Rachel de Queiroz (1993), Jorge Amado (1994), Antonio Candido (1998), Autran Dourado (2000), Rubem Fonseca (2003), Lygia Fagundes Telles (2005), João Ubaldo Ribeiro (2008), Ferreira Gullar (2010), Dalton Trevisan (2012), Alberto da Costa e Silva (2014) e Raduan Nassar (2016).

*Com Folha de S. Paulo e Rede Brasil Atual

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum