NOVO GOVERNO

DataFórum: avanço da PEC da Transição e lágrimas de Bolsonaro causam choque de realidade em bolsonaristas

Destruição do Ministério da Educação gera revolta e muita repercussão no Twitter

DataFórum: avanço da PEC da Transição e lágrimas de Bolsonaro causam choque de realidade em bolsonaristas.Créditos: Reprodução/Palácio do Planalto
Escrito en TECNOLOGIA el

Levantamento DataFórum desta quarta-feira (7) mostra que a realidade, aos poucos, se impõe sobre os delírios da extrema direita, o avanço da PEC da Transição e as lágrimas de Bolsonaro, que está trancafiado no Palácio da Alvorada desde a derrota para Lula (PT) deu o início a uma guerra interna entre os militantes da extrema direita. 

Conforme os dias passam e o novo governo avança em medidas para serem aplicadas logo nos primeiros dias, o discurso golpista da extrema direita se isola e se torna cada vez mais restrito aos grupos mais periféricos do bolsonarismo. 

Em sentido contrário, o núcleo duro do bolsonarismo, composto por políticos e influenciadores, já mostra qual será o papel a ser desempenhado durante o novo governo Lula: crítica pura e simplesmente, mas tal postura revela que tais personagens assumem a inevitabilidade da posse. 

O descalabro do Ministério da Educação produzido pelo governo Bolsonaro e revelado pelo Gabinete de Transição gerou revolta no Twitter e mais críticas ao futuro ex-presidente Bolsonaro. 

Por fim, o choro do presidente durante evento militar foi interpretado como mais uma estratégia que visa humanizar a figura de Bolsonaro. 

A comunidade da extrema direita obteve 51% das citações no Twitter. Os progressistas, somados a Cultura de Rede, tiveram 43% das menções. 

Foram analisados 587.881 a partir das tags lulaoficial, @lulaoficial, jairbolsonaro, @jairbolsonaro, lula, bolsonaro, @ptbrasil, ptbrasil, @plnacional_, plnacional_. 

 


Realidade se impõe na extrema direita 

 

As medidas da transição de poder foram motivo de reclamações de influenciadores, que condenaram ex-aliados do governo por terem votado a favor da PEC da transição, mas também houve parlamentar se gabando de ter votado contra a medida. 

A hostilização ao Lula na porta do hotel em que está hospedado foi comemorada e também se verificou manifestações de apoio a Bolsonaro. O clima de golpismo motivou publicações de alto engajamento, mantendo a expectativa de que o resultado das eleições ainda pode ser modificado.

 


Descalabro no MEC causa revolta 

 

O caos administrativo do governo Bolsonaro motivou postagens de grande circulação, com a falta de verbas para universidades gerando bastante indignação. O choro de Bolsonaro foi retratado como estratégia de comunicação para gerar empatia, mas novamente internautas se mostraram indiferentes com o suposto sofrimento do Presidente.  

O sigilo de 100 anos sobre o cachê de Gustavo Lima foi repudiado, pois o assunto foi considerado fútil para ensejar tanto segredo.

 


Cultura de Rede 

 

O futebol novamente foi o assunto mais comentado no grupo, com Neymar sendo associado de maneira irônica ao Bolsonaro e perfis ressaltando que ele não homenageou Bolsonaro com seu gol, mas que o Presidente pretende levantar a taça caso o Brasil seja campeão. 

O Choro de Jair Bolsonaro foi novamente tratado com desdém, com influenciadores afirmando que seu legado de morte e destruição será lembrado por muito tempo.

 


Liberais 

 

Ciristas remanescentes frequentaram o mesmo grupo que os liberais, lamentando o desempenho eleitoral pífio do ex-Ministro. André Mendonça motivou deboche com Bolsonaro, por ter votado para rejeitar ação contra Alexandre de Moraes, tendo sido comparado ao Toffoli, como um traidor. 

A PEC da transição foi criticada e considerada como um aumento desastroso de gastos públicos. O choro de Bolsonaro também foi motivo de chacota nesta comunidade.

 

 

Temas