AMAZON

Inteligência artificial de mercado da Amazon era, na verdade, milhares de trabalhadores indianos

Tecnologia Amazon Just Walk Out era menos tecnológica e mais humana

IA da Amazon era, na verdade, o trabalho de mais de mil pessoasCréditos: Pixabay
Escrito en TECNOLOGIA el

Os vidrados em tecnologia e os brasileiros que vivem nos EUA e na Europa certamente já ouviram falar da Amazon Just Walk Out. Em lojas com essa tecnologia, o consumidor entra, pega os produtos e sai sem pagar no caixa, com uma cobrança sendo feita automaticamente em seu cartão de crédito. 

A tecnologia pareceria um sinal indubitável do avanço da inteligência artificial. Na verdade, não passava de trabalho precarizado de trabalhadores da Amazon na Índia.

Uma reportagem do site estadunidense Business Insider afirma que o Just Walk Out da Amazon tinha um segredo: a suposta inteligência artificial era revisada por cerca de mil trabalhadores na Índia que revisavam as compras dos clientes.

Segundo o The Information, pelo menos 70% das compras eram revisadas por seres humanos. Mas na propaganda, o sistema Amazon era inteiro  feito por inteligência artificial.

A empresa decidiu fechar o Just Walk Out por que a tecnologia simplesmente não funcionava mais. A Amazon queria que apenas 50 de cada 1.000 vendas passassem por uma verificação manual, segundo a mesma publicação, mas o modelo não melhorou.

A empresa nega a denúncia, e afirma que os funcionários estavam apenas "treinando" o modelo de inteligência artificial. "Os associados [leia-se trabalhadores] também podem validar uma pequena minoria de visitas de compras onde nossa tecnologia de visão computacional não pode determinar com completa confiança as compras de um indivíduo", disse em comunicado.

Agora, a ideia é substituir o Just Walk Out por carrinhos 'Dash', que contará o preço das coisas que estavam dentro do carrinho que o cliente utilizar.

Tudo isso para vender para o centro do capitalismo global a ideia de que é possível fazer uma loja sem trabalho. Porém, certamente, os "associados" de algum país de terceiro mundo vão revisar o carrinho de mercado.