Alexandre Padilha

26 de março de 2020, 22h46

Precisamos de uma indústria de guerra para enfrentar o coronavírus

Leia na coluna de Alexandre Padilha: o governo precisa orientar o setor privado de que há de se constituir uma indústria de guerra contra o coronavírus, inclusive na geração de emprego e renda. Há protocolos para isso caso o país entre em situação de guerra ou entre em uma questão emergencial como a que estamos vivendo

Foto: Memorial da Indústria

Faço parte da comissão que debate as ações de enfrentamento ao coronavírus na Câmara dos Deputados e, nesta semana, entre tantos assuntos de medidas para o combate à doença, debatemos a importância da coordenação do governo federal nas ações com o setor privado para que seja mantida a necessidade de atendimento as pessoas neste período, gerando produtos que supram a demanda existente hoje.

Queremos salvar vidas e para isso precisamos que a economia também gire com este ideal. É preciso deixar claro que não existe divergência entre salvar vidas e estimular a economia. Para isso, o governo precisa orientar o setor privado de que há de se constituir uma indústria de guerra contra o coronavírus, inclusive na geração de emprego e renda. Há protocolos para isso caso o país entre em situação de guerra ou entre em uma questão emergencial como a que estamos vivendo.

O setor industrial possui protocolos para essa medida e isso precisa ser direcionado na fabricação de todos os produtos necessários para a saúde pública, como a indústria têxtil que deve ser orientada a confeccionar máscaras, jalecos e uniformes para os profissionais de saúde, a indústria automobilística na contribuição da produção de ventiladores mecânicos ou a indústria de bebidas na produção de álcool em gel. Essas são ações que envolvem salvar vidas e também manter a renda das pessoas.

Para isso o governo federal também deve operar junto com o setor privado brasileiro facilitando a abertura de crédito, capital de giro e antecipação de compras governamentais porque não existe dicotomia nesse enfrentamento. Mas, infelizmente, Bolsonaro não está liderando e nem colaborando com essa ação.

Precisamos direcionar essa ação o quanto antes para garantir alimento, insumos, medicamentos, equipamentos e materiais para a grande demanda de saúde pública que estamos e ainda vamos enfrentar.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum