Alexandre Padilha

07 de junho de 2018, 15h54

Temer congelou e agora enterrou os recursos para Saúde

Alexandre Padilha analisa o caos da saúde: “Além de ser o governo com o menor índice de popularidade da história, está arrastando o país para o buraco, o mesmo país que crescia exponencialmente”

Primeiro congelaram os recursos para a saúde para os próximos 20 anos, com a PEC da Morte. Tiraram os rendimentos da exploração do pré-sal, que também iam para a área e, agora, o governo golpista tira mais dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS) para subsidiar o preço do diesel. Sim, mais essa. O subsídio de R$ 9,6 bilhões dado pelo governo vai diminuir os recursos para programas sociais, incluindo os dos SUS.

Temer e seu governo golpista cancelaram R$ 179 milhões do orçamento para o fortalecimento do SUS, que já estavam bloqueados em decorrência da quantidade de cortes feitos, mas que tínhamos a esperança de ser descontingenciado. Mas, não.

A medida provisória publicada na semana passada, que criou um incentivo econômico à comercialização do óleo diesel – reduzindo o preço em 0,46 centavos –, é mais uma crueldade do governo golpista e entreguista que transcende os limites de sua proporção, em prol de um acordo firmado para que a crise com os caminhoneiros fosse suspensa, prejudicando, mais uma vez, os pobres e beneficiando acionistas e investidores da Petrobras.

A parte mais afetada é a do Fundo Nacional de Saúde, com menos R$ 159 milhões, que contempla programas como: Apoio à Implementação da Rede Cegonha (menos R$ 5 milhões), Operacionalização do Sistema Nacional de Transplantes (menos R$ 1 milhão), Manutenção e Funcionamento do Programa Farmácia Popular do Brasil Pelo Sistema de Gratuidade (menos R$ 11 milhões), Implementação do Programa Mais Médicos (menos R$ 34 milhões).

Há ainda R$ 5 milhões cancelados para o desenvolvimento tecnológico, pesquisas, inovação para áreas como a Vigilância de Doenças Transmissíveis, R$ 7 milhões para desenvolvimento de tecnologias alternativas, saúde ambiental e manejo de resíduos sólidos, R$ 2, 5 milhões para a Atenção à Saúde nos Serviços Ambulatoriais e Hospitalares do Ministério da Saúde e para a residência de profissionais de saúde, entre outros.

Nota de repúdio

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) divulgou nota de repúdio à medida provisória conclamando “a sociedade para manifestações contra esta medida que retira os recursos das áreas sociais e dos programas voltados para os mais carentes”.

Temer congelou e agora enterra os recursos para saúde para que a população pague as contas da má administração da Petrobras, que vendeu, a preço de banana, nossas petrolíferas para o capital estrangeiro. Sim, o governo golpista VENDEU nossa maior riqueza e está fazendo com que importemos os derivados do petróleo. Resultado: produziu a maior crise já vista no país. Além de ser o governo com o menor índice de popularidade da história, está arrastando o país para o buraco, o mesmo país que crescia exponencialmente.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum