Notas Internacionais

por Ana Prestes

23 de agosto de 2019, 10h13

Macron afirma que crime ambiental na Amazônia é prioridade em reunião do G7

Em sua coluna, Ana Prestes, destaca o revide de Bolsonaro às críticas internacionais, dizendo que o debate entre as grandes economias mundiais sem a presença dos países da região amazônica “evoca mentalidade colonialista”

Foto: Reprodução/YouTube

– A crise dos incêndios na Amazônia foi parar na mesa do G7. Na véspera de sediar a reunião de cúpula do grupo, em Biarritz, Macron foi ao Twitter, nesta quinta (22), e disse que “nossa casa está em chamas”, se referiu à Amazônia como pulmão do mundo e disse que a questão dos incêndios estará entre as primeiras pautas da reunião. O premiê canadense Justin Trudeau concordou: “Não poderia concordar mais. Trabalhamos muito para proteger o meio ambiente no encontro do G7 no ano passado. Precisamos agir pela Amazônia”. Houve muita polêmica quanto ao tuite de Macron pelo fato dele ter usado uma foto de 2003 e a controvérsia em torno da consideração da Amazônia como “pulmão do mundo”. O vice-presidente Hamilton Mourão entrou na polêmica dizendo que o pulmão do mundo são os oceanos. O candidato a embaixador nos EUA, Eduardo Bolsonaro, respondeu Macron, replicando um vídeo em que um youtuber chama o presidente francês de idiota. Já o ministro Lorenzoni, perguntado se iria visitar a Amazônia, disse que ia “ver coisa mais importante”.

– Bolsonaro revidou dizendo que a realização desse debate entre as grandes economias mundiais sem a presença dos países da região amazônica “evoca mentalidade colonialista”. Bolsonaro também convocou ministros para uma reunião de crise, entre eles o das Relações Exteriores, Defesa, Agricultura e Meio Ambiente, na tarde de quinta (22), e prometeu outra para esta sexta (23). O presidente brasileiro também falou com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, que fez contato para oferecer ajuda. Piñera anunciou que conversou com o presidente boliviano, que enfrenta o mesmo problema. Ambientalistas em movimentos sociais preparam para esta sexta mobilizações nas capitais e grandes cidades com a chamada: “Amazônia Na Rua”. Há notícias também de manifestações ambientalistas marcadas para a frente das embaixadas brasileiras em Londres, Lisboa, Madri, Paris e outras capitais.

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

– Enquanto isso, como já havíamos dito aqui nas notas, Bolívia e Paraguai também enfrentam incêndios em seus territórios. Na Bolívia, o presidente Evo Morales sobrevoou na segunda (19) as áreas afetadas para ter a dimensão das queimadas e designou o vice-presidente Álvaro Garcia Linera para conduzir a equipe que está lidando com os incêndios. Sob sua liderança, a Bolívia uniu esforços ao Paraguai para atuarem juntos na resolução do problema. É aguardada com muita expectativa para esta sexta (23) a chegada do maior avião tanque do mundo, o Super Tanker 747, da empresa Global Super Tanker, que deverá iniciar suas operações nas cidades de Charagua e Puerto Busch. Segundo matérias da imprensa, o avião tanque, que tem capacidade para transportar até 72 mil litros de água, também “pode despejar líquidos retardantes, gel, espuma e água ou a combinação de quaisquer dois desses agentes, e pousar e decolar para novas descargas em intervalos de aproximadamente 30 a 35 minutos. Só na região de Santa Cruz, na Bolívia, estima-se que cerca de 654 mil hectares foram afetados pelos incêndios.

– A France Press anuncia nesta sexta (23) que Putin prometeu “resposta simétrica” a teste de míssil dos EUA. O presidente russo se refere ao recente teste realizado pelos norte-americanos de um míssil de alcance médio, o primeiro executado pelo país desde a Guerra Fria. Em uma reunião do Conselho de Segurança, Putin teria dito: “Ordeno os ministérios russos da Defesa e das Relações Exteriores que examinem o nível da ameaça para nosso país pelos atos dos Estados Unidos, e que sejam adotadas medidas exaustivas para preparar uma resposta simétrica”. Por sua vez, os norte-americanos, através do secretário de defesa, Mark Esper, deram a entender que o recente teste com míssil de cruzeiro tinha como objetivo conter o crescente arsenal de mísseis de alcance intermediário da China. Segundo Esper, “nós queremos assegurar que podemos deter o mau comportamento chinês por meio da nossa própria capacidade de atacar em alcances intermediários”. O lançamento do míssil ocorreu no domingo (18), poucos dias após ter expirado, em 2 de agosto, o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário entre os EUA e a Rússia.

– A Força Aérea Portuguesa assinou contrato de compra de cinco aeronaves KC-390 da Embraer. Segundo o Itamaraty, é um passo na internacionalização do setor aeronáutico brasileiro e o ingresso de produto brasileiro de altíssima tecnologia e de aplicação civil e militar no mercado internacional.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum