Andrea Caldas

política e educação

09 de agosto de 2019, 19h21

Bolsonaro fala de cocô e Guedes aprova a Reforma da Previdência

Andrea Caldas: “Neste eclipsamento do tempo e do destino, há espaço para personagens menores e, invariavelmente, sombrios. Mas, eles passarão”

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

É assim…

Todo mundo sabe que é assim… E os eleitores orgânicos do Bolsonaro, especialmente, o sabem.

O financismo – na total falta de nomes que emplacassem, eleitoralmente, seu programa impopular – aceitou um bufão como presidente.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

Alguém que não seria recebido em um jantar para “30 talheres”. Alguém que seria desprezado nos convescotes de clubes seletos.
Mas, é o que eles têm.  Foi o que sobrou diante do fracasso da direita liberal e dos novos janotas.

É assim…

Tampam o nariz para os maus modos do clã e do baixo clero, enquanto isto for funcional para suas pautas.

Da mesma forma, a classe média – que se acredita elite – disfarça seu rubor diante das palavras grotescas do chefe da Nação, enquanto suspira aliviada pelo fim da era petista – aquela em que as empregadas domésticas tinham direitos e os negros e negras entraram na universidade.

Bolsonaro sabe disso e tem esticado a corda da provocação.

Assume publicamente que está beneficiando a SUA família, manda recados para o Moro, manda prender e manda soltar.
Ele sabe, também, que é o fim do banquete… que pode durar até o fim do mandato ou não.

Mas, sem dúvida, será a sua última aparição na cena política institucional.

Bolsonaro e seu grotesco clã são as recorrentes caricaturas dos interregnos da humanidade.

Aqueles momentos em que o novo e velho ainda co-habitam o devir histórico.

Neste eclipsamento do tempo e do destino, há espaço para personagens menores e, invariavelmente, sombrios.

Mas, eles passarão. Porque são meros instrumentos da navegação entre tempos e eras. E, por isso, facilmente descartáveis.

A grande questão, contudo, é saber para onde estamos indo. Quem estará na condução deste outro lado da travessia? Para onde essa nau histórica ruma?

Barbárie ou humanização?

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum