Andrea Caldas

política e educação

01 de setembro de 2019, 14h55

Eu estudei…

Andrea Caldas: “Nunca, nunca mesmo, nestes meus 50 anos, vivi um tempo de assistir a um presidente que enaltece a ignorância e que, deliberadamente, combate a educação e a ciência”

Bolsonaro e Weintraub - Foto: Reprodução

A cada dia e todo dia.

Meu pai valorizava o estudo e a educação formal, porque não tinha concluído o ensino fundamental – ainda que fosse o maior autodidata e sábio que conheci.

Minha mãe foi a primeira da sua geração a fazer curso superior.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Livros, cultura, conversas, mundo, humanidade… era isto que transbordava na nossa sala.

Não eram joias, nem propriedades, nem carros, nem bens…
Era cultura e cultura como expressão da humanidade. Jamais como hierarquia ou meritocracia.

Por isto, seguindo os passos de minha mãe, me tornei pedagoga.
Pra ensinar, para valorizar o saber.

E depois, entendendo que nem todos podem ter as mesmas condições, me tornei professora e militante de políticas educacionais, para tentar lutar para que todos pudessem ter acesso ao patrimônio universal da humanidade.

Enciclopédias, artes, livros, ciência… meus filhos aprenderam a se regozijar deste manancial infinito. E eu sempre quis que os filhos dos filhos de todos pudessem, também.

Esta é minha vida, esta é minha luta. Uma luta tormentosa, em um país desigual e elitista.

Mas, nunca, nunca mesmo, nestes meus 50 anos, vivi um tempo de assistir a um presidente que enaltece a ignorância e que, deliberadamente, combate a educação e a ciência.

É triste, é assustador.

É o ocaso de qualquer projeto de humanidade.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum