Andrea Caldas

política e educação

20 de abril de 2019, 08h35

“Homeschooling” é cortina de fumaça ou é sinal?

Em sua coluna na Fórum, a pesquisadora Andrea Caldas fala sobre a falta de estratégia do governo Bolsonaro para o Ministério da Educação,

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Perto do quinquênio do Plano Nacional de Educação, sem cumprir uma meta sequer, o governo Bolsonaro terceiriza a pauta da Educação para o recém-criado Ministério da Família e decreta que educação é responsabilidade de quem pariu.

O ministro da Educação é um dos cargos mais estratégicos de qualquer governo. Seja pela sua relação com a Economia, seja porque a pasta tem um dos maiores fundos públicos geridos pelo Estado.

Ocorre que o presidente eleito não tem nenhum plano para esta pauta estratégica. Tanto assim que o MEC é o ministério que teve mais deposições do que posses. Há mais tuítes que publicações no Diário Oficial.

A pauta da Educação se expressa no Ministério – recém-criado – da Famiglia! E de lá emanam – tal qual do Império Romano – as diretrizes educacionais.

Substituímos a meritocracia do esforço econômico – tão cara ao Mercado – por outra: a meritocracia devocional.

Famiglias que não usam métodos de anticoncepção e defendem este autoexílio como forma de viver.

Isto veio a lume com o governo Bolsonaro. Mas seu espelho reverso está na esquerda também.

A esquerda alternativista que escolhe “onde o mundo é bom” para criar seus filhos é “homeschooling”.

A esquerda autoritária que define rótulos e uniformes é “homeschooling”.

O MST quando contesta a eleição para diretores de escola é “homeschooling”.

E se encontram com os fundamentalistas religiosos que advogam o direito de educar acima do Estado Laico.

Temos um lugar de encontro entre fundamentalistas de cada lado. Ele se expressa pela negação do Estado, e no fundo e ao final, é a negação da nação e de seu conceito.

Vejamos alguns exemplos:

Negar a escolaridade obrigatória desde os quatro anos. Sim, há movimentos sérios e progressistas que contestam.

Eu sou daquelas que advogam e avocam sempre a autoridade estatal. Talvez, por dever de ofício. Talvez, porque acreditei no Estado.

Mas, um pecado não tenho: eu não acendo uma vela aqui e outra acolá.

Critiquei o “homeschooling” na esquerda e na direita.

Porque o mundo isolado sempre se encontra.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum