Benedita da Silva

12 de abril de 2019, 16h30

Governo Bolsonaro deixou o Brasil à deriva

Em mais um artigo para a Fórum, a deputada Benedita da Silva ressalta a importância da libertação de Lula, para reunificar o país com a volta do Estado democrático de direito

Foto: Divulgação

Muito já foi dito sobre os 100 dias de Bolsonaro. Mas uma coisa é preciso acrescentar: o seu desgoverno não diz respeito apenas à notória incapacidade de Bolsonaro, mas representa também a inviabilidade política e econômica do golpe de 2016.

Afinal, dado o fracasso de suas candidaturas, todo o sistema golpista se alinhou no segundo turno em torno de Bolsonaro, como tábua de salvação para a continuidade do golpe e de sua política econômica ultraneoliberal, que visa ao desmonte do Estado-Nação brasileiro.

O que estampa esse fracasso, que vem do governo Temer, é o conjunto de indicadores econômicos e sociais. A economia não cresce, o desemprego aumenta juntamente com a informalidade do trabalho. A carestia aflige o trabalhador, com a gasolina subindo 23%, o feijão, 41%, e o tomate, 17%. O gás de cozinha virou artigo de luxo. Ao contrário do que diziam os golpistas, de que “bastava tirar Dilma para melhorar”, a situação do país só fez piorar. Culpar o PT desse fracasso permitiu ganhar algum tempo, mas não resolve o problema real, que começa a aparecer agora com os impasses criados pelo “presidente” eleito pelo golpe.

Todas as projeções otimistas caem por terra diante da estagnação econômica, agravada com a doença autoimune que o próprio eleitorado elegeu como presidente e que vem destruindo seus direitos e o que restou da base econômica ativa, inclusive a dos seus apoiadores, como é o caso do agronegócio.

O principal projeto do governo Bolsonaro, responsável pelo apoio eleitoral do mercado financeiro, é rejeitado pela população na medida em que esta tem informação de seu teor.

A pesquisa do Vox Populi, publicada neste mês de abril, revela que 65% dos brasileiros são contra a reforma da Previdência proposta por Bolsonaro. Quando têm conhecimento dos seus detalhes sórdidos, como o da idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres, a reprovação sobe para 73% e para 81%, contra a obrigatoriedade de todos contribuírem por 40 anos para terem o benefício integral.

Ao avaliar o desempenho de Bolsonaro, o Vox Populi mostra que a soma dos itens ruim e péssimo é de 30%, acima da soma dos itens ótimo e bom, de 26%. Do mesmo modo é a soma dos muito insatisfeitos e insatisfeitos com Bolsonaro, que atinge 70%, enquanto a soma dos muito satisfeitos e satisfeitos fica com 26%. Tanto no Vox Populi quanto no Ibope, são contínuas as tendências de crescimento da avaliação negativa e de queda da avaliação positiva.

O fato é que o país está à deriva e muitos dos “de cima” já buscam um porto que acham seguro, que seria o vice Mourão. A questão é como adotar essa solução política artificial quando a saída natural começa a crescer a olhos vistos: a libertação de Lula, com a sua enorme liderança reunificando o país com a volta do Estado democrático de direito.

Continuando a analisar a pesquisa Vox Populi, um verdadeiro termômetro desses 100 dias de Bolsonaro, vemos que 55% dos brasileiros consideram que Lula foi condenado e preso por motivos políticos. Ou seja, a maioria do país considera Lula inocente das acusações absurdas de Moro, apesar do ex-presidente estar proibido de falar e do imenso volume de ataques e de desconstrução midiática de sua biografia.

Passada a onda eleitoral de Bolsonaro, construída com fake news, e com o ainda moderado, mas persistente afastamento de seu eleitorado, Lula volta se mostrar como um líder nacional com bases sólidas, resistentes a ataques, com condições reais de tirar o Brasil da crise e pacificar a sociedade brasileira, que Bolsonaro, a Lava Jato e setores da mídia insistem em mergulhar no ódio e na perseguição de quem pensa diferente.

Os elevados indicadores de rejeição a pontos específicos da reforma da Previdência, ou mesmo de desaprovação a Bolsonaro, deixam evidentes a necessidade de um líder capaz de amarrar todas essas pontas soltas da insatisfação popular na direção da retomada do Estado democrático de direito e resgate dos direitos. Mostra a necessidade de Lula Livre para liderar a libertação do Brasil dos grilhões do fascismo.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum