Cartas do Pai: “A Gripe do Pasquim”

Em sua coluna na Fórum, Ivan Cosenza relembra um episódio curioso de quando prenderam a equipe do Pasquim, jornal onde trabalhava seu pai, o cartunista Henfil

Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2020.

Pai.

Esses dias estava lembrando de uma vez, durante a ditadura militar, quando quase todos os integrantes do Pasquim foram presos de uma vez só.

Não gostaram desta brincadeira com o quadro da independência colocando D. Pedro gritando:

-“EU QUERO MOCOTÓ”

Eles pensaram que prendendo todos evitariam que saísse uma nova edição do jornal. Conhecida como a gripe do Pasquim, os poucos que ficaram soltos, entre eles você (Henfil) e Millôr, fizeram o jornal sozinhos, assinando pelos que estavam presos.

Isso deixou os militares intrigados.

Não entenderam como o jornal havia sido publicado se todos estavam ali na cadeia.

Dizem que, por isso, resolveram soltá-los:

– Do que adianta prender esse pessoal, se mesmo presos o jornal foi pras bancas do mesmo jeito?

Mas o que poucos sabem é que antes da soltura, o coronel responsável pela prisão, reuniu todos os integrantes presos para tirar satisfação!

Disposto a esclarecer a grande dúvida que estava em sua cabeça, juntou todos os integrantes do Pasquim em uma sala, e perguntou em alto e bom tom:

– Vocês podem me explicar por que a esposa do presidente, Michelle Bolsonaro, recebeu 89 mil do Fabrício Queiroz?

Seguimos perguntando isso até hoje, pai!

Um beijo do seu filho,

Ivan.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum

Este post foi modificado pela última vez em 15 set 2020 - 22:48 22:48

Ivan Cosenza de Souza: Cronista, produtor cultural, curador da obra de Henfil, seu pai, e presidente do Instituto Henfil. Escreve as Cartas do Pai para a Revista Fórum. Henfil veste Pela Esquerda. Camisa da Ursal à venda no link abaixo: