Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

18 de setembro de 2019, 15h29

Cartas do Pai: “Foi Golpe”

Ivan Cosenza: "Um povo que não gostava de política aprendeu a brigar, mas não aprendeu a debater. O representante desse fascismo mostrou como fazia. Brigava, insultava e, quando era pra debater, ele fugia"

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 18 de setembro de 2019.

Pai.

Foi golpe!

Sei que parece notícia velha, mas não é. Eu já sabia, você já sabia, todo o mundo já sabia. Até quem dizia que não sabia, sabia.

Agora, até quem deu o golpe assumiu que foi golpe.

INSCREVA-SE para receber conteúdos exclusivos da entrevista do Rovai com o presidente Lula

O golpista mór… O Sr. Fora Temer!

Aquele mesmo que você costumava me dizer que era o “maior mau caráter que já tinha conhecido”, admitiu ter sido golpe.

Tá certo que ele estava tentando tirar o dele da reta, dizendo que não participou do golpe que ele deu. Mas admitiu.

A Judas de saia, que vendeu a democracia por 45 mil dinheiros, também já assumiu que foi golpe.

O Jucá já tinha dito que era golpe. Um golpe com Supremo, com tudo.

O Supremo sabia que era golpe. Afinal, era um “grande acordo nacional”.

A Polícia Federal também sabia que era golpe, tanto que absolveu a Dilma de todas as acusações.

Mas os golpistas perderam o controle do golpe. Deixaram o monstro crescer demais e o que era pra jogar o Brasil pra direita, jogou o país na extrema direita, no fascismo.

Plantaram um ódio, que cresceu a ponto de termos uma eleição sem debate político. Um povo que não gostava de política aprendeu a brigar, mas não aprendeu a debater. O representante desse fascismo mostrou como fazia. Brigava, insultava e, quando era pra debater, ele fugia. E foge até hoje. Um presidente que foge da imprensa, foge de perguntas.

Agora, temos que ensinar ao brasileiro como se debate política. Como se argumenta, sem ofender, sem xingar, sem agredir.

Aos poucos, eles estão baixando a guarda, com medo do monstro que eles elegeram.

E nós? Nós estamos aqui, de braços abertos, pra ensinar a eles como se faz política.

Um beijo do seu filho,

Ivan.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum