Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

28 de maio de 2019, 20h57

Cartas do Pai: “Homofobia nas Igrejas”

A luta não acabou. Vamos continuar lutando para que as leis sejam para todos

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 28 de maio de 2019

Pai,

foi dado o primeiro passo para a criminalização da homofobia. Passou pela comissão do Senado e esperamos que em breve vire lei.

Pelo que entendi, são as mesmas regras usadas na lei contra o racismo, e vai finalmente punir essas pessoas que não conseguem respeitar  a sexualidade dos outros.

Mas…

Fico sempre me perguntando por que uma notícia boa, nunca pode vir sem um “mas”?

Os avanços que fazemos, sempre tem um “mas” no final.
Então vamos lá.

A homofobia vai ser crime, mas…se ela acontecer dentro de uma Igreja, não vai ser crime. Qual é a lógica disso? Crime é crime!

Por que as igrejas têm uma lei diferente pra elas? Por que elas podem quase tudo?

Uma Igreja não paga imposto. Dentro da Igreja pode ser racista. Dentro da Igreja se pode forjar curas, porque elas jamais terão que provar a veracidade disso. Pastores podem vender por preços absurdos, canetas, vassouras, meias, tijolos e outras coisas, que dizem estarem abençoadas.

Veja também:  Bolsonaro gastou mais de R$201 mil de dinheiro público para ver três jogos da Copa América

Igrejas transmitem imagens de pastores com drogas, que alegam terem sido entregues por fiéis, e nada é investigado. Prometem cura, em troca de doações em dinheiro; E, agora, vão poder ser homofóbicos o quanto quiserem…Quando as igrejas vão vir pro mundo real?
Mas…

É, pai. Nas coisas ruins também temos “mas”. Mas…a luta não acabou. Vamos continuar lutando para que as leis sejam para todos.

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum