Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

07 de maio de 2019, 22h56

Cartas do Pai: “Ministério da Educação e Culinária”

O ministro foi ao Senado e disse que “a expansão do ensino superior nos governos anteriores foi uma tragédia”

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 7 de maio de 2019.

Pai,

Te falei que já trocaram o ministro da Educação? Pois é, mudou!

Muita gente ficou contente quando o primeiro saiu, mas eu não.

Se aquela era a primeira opção, o melhor que ele tinha pra indicar, por pior que fosse, a segunda opção só poderia ser pior.

Pois bem, este novo ministro já anunciou que vai cortar 30% da verba das universidades federais, alegando que a prioridade é o ensino básico. Mas adivinha? Eles cortaram também a verba para as escolas. Cortaram geral!

Logo eles que criticavam, falavam que tinha que melhorar a educação, que a esquerda não investia e agora cortam a verba que diziam ser pouca.

Muita trapalhada né, pai?

Mas não acabou, não!

O ministro foi ao Senado e disse que “a expansão do ensino superior nos governos anteriores foi uma tragédia”.

Entendeu?

Em uma frase, ele não só admitiu que acha um absurdo investir no ensino superior (querem formação apenas de mão de obra barata), como reconhece que os governos do PT investiram, sim, e muito em educação.

Veja também:  Investimento de 6,5% do orçamento previsto para segurança revela mais uma falácia de Bolsonaro

Quem diria que teríamos gente dentro do governo fazendo propaganda dos feitos da esquerda na presidência?

E pra concluir…

Calma!

Tem mais!

Ele citou o livro “O Processo”, de KAFTA.
KAFTA!

Ele acha que KAFTA é processada!

Todo mundo sabe que KAFTA é feita com carne moída, e não com carne processada.

Enfim, pelo menos isso serviu pra eu entender o que MEC quer dizer:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULINÁRIA.

Tô sempre aprendendo coisas novas.

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum