Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

15 de maio de 2019, 11h20

Cartas do Pai: “Nas ruas pela Educação!”

Um ministro da Educação que não conhece literatura e não sabe matemática mostra bem o nível deste governo

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 15 de maio de 2019.

Pai,

Neste domingo, dia 12, postei uma carta sua nas suas páginas no Facebook e no Instagram.

Aquela que você fala, que estava percebendo que o povo andava meio desanimado, pessimista, lembra?

Tem muita gente desanimada, vendo as coisas piorarem, e com o governo anunciando uma maldade a cada dia. Isso vem abatendo a gente, aqui.

As pessoas foram cansando, depois de tanto tempo conversando, gritando, alertando. E, mesmo assim, durante muito tempo, uma parte dos brasileiros não acreditava. Achava que estávamos exagerando.
O governo foi vendo isso e foi abusando, abusando, até que perdeu a mão.

Eles ficaram confiantes demais e resolveram mexer aonde não deviam. Cortaram verbas da educação, logo da educação, pai!

Foi aquele ministro mesmo, o que não sabe a diferença entre Cafta e Kafka.

Pra explicar os cortes de 35% na educação ele pegou 100 chocolates e falou que 3 chocolates e meio, eram 35%.

Um ministro da Educação que não conhece literatura e não sabe matemática mostra bem o nível deste governo.

Veja também:  Cartas do Pai: “Treinado para matar”

Além disso, ele falou que poderia rever os cortes se fosse aprovada a reforma que querem fazer na Previdência (aquela que vai deixar os mais pobres praticamente sem aposentadoria).

Tá fazendo chantagem com a gente!

Na sua carta pra vovó, você chama os pessimistas pras ruas. Pois bem, aqui vamos nós!

Nesta quarta, dia 15, vamos todos!

Todos que não aceitam chantagem!

Todos que não aceitam perder direitos para manter privilégios!

Todos pela Educação!

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum