quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Cartas do Pai: “O óleo da Shell”

Rio de Janeiro, 22 de outubro de 2019.

Pai.

Tem tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, que nem falamos sobre as manchas de óleo que apareceram nas praias do Nordeste.

Num momento em que o governo declarou guerra aos estados nordestinos, de repente aparecem gigantescas manchas de óleo adivinha aonde?

Isso! Nas praias do Nordeste.

E sem demora o presidente anuncia que o óleo é venezuelano, mas disse que não sabe como veio parar na costa nordestina.
“Não é do Brasil, não é responsabilidade nossa”.

Pra ele, nada é responsabilidade dele. Acho que ele ainda não entendeu quais são as responsabilidades de um presidente. E pior, como veio parar no Nordeste, sem atingir as Guianas e o Suriname, que estão no meio do caminho?

Será que o óleo não gostou das praias de lá?

Um conhecido meu, que se diz “jornalista”, postou na sua página, a pergunta onde estavam as ONGs e os ambientalistas. Bem, eles estão lá, nas praias, junto com a população nordestina, limpando a sujeira toda.

Sabe quem não está lá? O governo! Exatamente os que são pagos para resolver esse tipo de problema, não deram as caras.

Mas esperar o que de um ministro do Meio Ambiente condenado por crime ambiental?

De um presidente que pesca em reserva ambiental?

Mas como mentira tem perna curta…

Começaram a aparecer barris da Shell. Mistério resolvido, pai? Maldita Shell, essa empresa venezuelana. Fora do Brasil, comunistas da Shell.

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.
Ivan Cosenza de Souza
Ivan Cosenza de Souza
Cronista, produtor cultural, curador da obra de Henfil, seu pai, e presidente do Instituto Henfil. Escreve as Cartas do Pai para a Revista Fórum. Henfil veste Pela Esquerda. Camisa da Ursal à venda no link abaixo: