Ivan Cosenza de Souza

cartas do pai

26 de fevereiro de 2019, 22h08

Cartas do Pai: “Propaganda nas escolas”

Pelo menos coerência eles têm, já que foi exatamente isso que disseram que fariam durante a campanha

Foto: Reprodução

Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2019

Pai,

As coisas estão cada vez mais loucas!

O nosso ministro da Educação, que nem brasileiro é, tá dizendo por aí que nós somos ladrões e canibais.

O que mais me impressiona é que ficou por isso mesmo. Não teve protesto. Não teve panelaço. Nada!

Fico me perguntando:

– Cadê aquela revolta?

– Cadê aquele pessoal que enchia as ruas, de verde e amarelo? Sumiram todos!

Eles aceitam ser chamados de ladrões. Aceitam perder suas aposentadorias. E não dão um pio sequer!

Agora, a última do ministro é que ele quer que filmem as crianças cantando o hino nacional nas escolas, sem autorização dos pais, e enviar para o ministério.

As escolas precisando de investimento, os professores com salário baixo e milhares de crianças fora delas, e ele preocupado com isso.

Essas são as medidas que eles estão tomando para melhorar a educação. Cantar hino, filmar aluno, fazer propaganda do governo, acabar com doutrinação imaginária. Nada de concreto para melhorar a educação!

Pelo menos coerência eles têm, já que foi exatamente isso que disseram que fariam durante a campanha.

Quem não prestou atenção votou, e agora estamos nessa!

Esse governo ainda está em campanha eleitoral. Não assumiu ainda! Querem que as crianças leiam o slogan da campanha, aquele slogan que foi usado por Hitler, e que eles resgataram.

Será que sobra Brasil no fim desse governo, pai?

Um beijo do seu filho,

Ivan

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum