sábado, 24 out 2020
Publicidade

Almanaque Rosa: catalogando a história com o olhar de quebrada

Leia na coluna de Joselicio Junior: O Almanaque Rosa é livro que toca qualquer pessoa que gosta de uma boa história, mas alerto, se você viveu sua infância entre os 80 e 90 do século passado em alguma quebrada, saiba que esta obra te tocará de uma forma muito especial

Um livro é sempre um convite para viajar. O Almanaque Rosa não  poderia ser diferente, ainda mais escrito e forjado por alguém que nasceu, cresceu e sempre viveu nas quebradas desse mundaréu como já dizia Plínio Marcos. A versatilidade de um multiartista como Almir Rosa se expressa na pluralidade de formatos que as narrativas são contadas, no melhor daquilo que Conceição Evaristo conceituou de escrevivência.  

Neste Almanaque você encontrará poesia, música, contos, crônicas, peça de teatro, receitas, horóscopo. Uma leitura linear te levará há um mergulho de sensações, sentimentos, olhares e percepções, aquele gingado, aquela malemolência de quem já passou por muita coisa, desviou  e se recompôs, desceu e subiu ladeira  para chegar até aqui e continua gingando   no espiral da vida. Mas também se você pegar o livro de sopetão e abrir em qualquer página, não tenha dúvida, encontrará algo bastante especial. 

O Almanaque Rosa é livro que toca qualquer pessoa que  gosta de uma boa história, mas alerto, se você viveu sua infância entre os 80 e 90 do século passado em alguma quebrada, saiba que esta obra te tocará de uma forma muito especial. 

Escrever um livro é uma ousadia, é um ato político, é compartilhar saberes, trajetórias, como diz a Letra “Raiz de Glória do grupo Z’África Brasil “Versando o cotidiano é o compromisso/A voz dos excluídos, catalogando a história”. Durante muito tempo o monopólio da escrita  e do registro histórico ficou nas mãos de uma pequena elite branca, eurocêntrica.  Hoje ter a possibilidade de escrever e publicar, trazendo as histórias a partir das lentes daqueles que foram historicamente excluído não é apenas responder ao nosso tempo, mas influenciar as próximas gerações. 

Serviço 

Lançamento do Livro Almanaque Rosa: Pensamentos e Biritagens

Autor: Almir Rosa

Edição: Dandara Editora

Co-Edição: Sá Menina Produtora

site para vendas: https://dandaraeditora.com.br/

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum

Joselicio Junior
Joselicio Junior
Mais conhecido como Juninho, é jornalista, presidente estadual do PSOL-SP e militante da entidade do movimento negro Círculo Palmarino. É colunista da Revista Fórum.