Julian Rodrigues

28 de junho de 2019, 23h05

Bolsonaro extingue Conselho LGBTI

A extinção do conselho vem no bojo do "revogaço" , o decreto presidencial que praticamente extingue ou desfigura a maioria dos conselhos, acabando com a participação social no governo federal

Foto: Agência Brasil

Ontem, 27 de junho de 2019, o governo do neofascista deu um “presente” de Stonewall para população LGBTI: publicou o decreto 9.883 que transforma o ex-Conselho Nacional LGBT em órgão com objetivo de proteger os direitos das “minorias étnicas e sociais; e das vítimas de violência, de preconceito, de discriminação e de intolerância”.

Simplesmente apagou a população de lésbicas, gays, bissexuais, mulheres transexuais, travestis, homens trans e pessoas intersexuais. A extinção do conselho vem no bojo do “revogaço” , o decreto presidencial que praticamente extingue ou desfigura a maioria dos conselhos, acabando com a participação social no governo federal.

O Conselho LGBT havia sido criado em 2010, pelo presidente Lula (decreto 7388), a partir de uma modificação realizada no antigo CNCD (Conselho Nacional de Combate à Discriminação). No governo Dilma, em 2011, o Conselho foi instalado. Participei do primeiro mandato, representando a sociedade civil, junto com Toni Reis, Keila Simpson e outras lideranças.

Além de ter retirar as LGBTI do Conselho, o decreto de ontem, na verdade, cria um “comitê”, com apenas 6 membros, sendo só 3 da sociedade civil.

Veja também:  O louco e o palhaço: a imbecilização da retórica política

Sabe-se lá qual o critério e que segmentos estarão representados nesse novo “conselho”. Mais um passo rumo ao desmonte das políticas de direitos humanos. De Bolsonaro e Damares só pode vir desgraças mesmo. Resistiremos!

#Stonewal50 #Resistência #OrgulhoLGBTI #PolíticasPúblicasLGBTI


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum