Julinho Bittencourt

29 de abril de 2020, 10h12

Bolsonaro repete o mote irônico e épico de Milton Nascimento e Ruy Guerra: “E dai?”

A canção "E dai?", composta para o filme "A Queda", de Ruy Guerra, gravada no álbum “Clube da Esquina 2”, em 1976, relata a agonia de um operário da construção civil que morre em acidente de trabalho

Foto: Divulgação

Milton Nascimento e Ruy Guerra compuseram, em 1976, a linda “E dai?”, para o filme “A Queda”, de Ruy Guerra. A canção, gravada no álbum “Clube da Esquina 2”, relata a agonia de um operário da construção civil que morre em acidente de trabalho.

Cada uma de suas estrofes, narradas na primeira pessoa do operário, relatam de maneira contundente a sua exclusão histórica:

“Meus gritos afro-latinos
Implodem, rasgam, esganam
E nos meus dedos dormidos
A lua das unhas ganem”

Ao final de cada um dos versos/estrofes, um refrão reproduz o desprezo de séculos, como que dito pelo patrão, pelo mercado, enfim, por um poder maior que o mantém assim, ali, naquela condição de quase vida, quase morte pela eternidade.

A canção, espantosamente bonita e lírica, de melodia tensa, repete com as múltiplas vozes do próprio Milton, o epitáfio doloroso e inevitável:

“E daí?”

Ao final, a canção revela o contraste e legitima, diante de tantos contrastes, o próprio ódio:

“Iguarias na baixela
Vinhos finos nesse odre
E nessa dor que me pela
Só meu ódio não é podre
Tenho séculos de espera
Nas contas da minha costela
Tenho nos olhos quimeras
Com brilho de trinta velas
E daí?”

Mais de 40 anos depois, ao responder a repórteres sobre o fato do Brasil ter passado a China no número de mortes provocadas por Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) repete o mesmo mote de séculos, eternizado pela canção de Milton e Ruy Guerra:

“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”. “Ninguém nunca negou que teremos mortes”, disse ainda.

O monstro de Milton Nascimento e Ruy Guerra, que, naquelas alturas da abertura política do final dos anos 70, início dos 80, parecia preparado para adormecer para sempre, reaparece vivo.

Nunca uma canção foi tão atual.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum