Manoel Herzog

04 de setembro de 2019, 23h02

A poesia que respira

Manoel Herzog “Ao falar dos bichos, Bresciani reporta-se ao mais humano de nós, não como Orwell em sua Revolução, mas como Derrida em O animal que logo sou, fabuloso ensaio em que o filósofo tangencia as grandezas ‘animalidade’ e ‘ser vivente’

Foto: Reprodução

Durante as atividades do XI Festival Internacional de Poesía en el Centro, realizado em Buenos Aires agora em agosto, presenciei uma cena bizarra: o poeta uruguaio Rafael Courtoisie começou a recitar versos mais ou menos do seguinte teor, cito de memória:

Es facil ser un vegano em Buenos Aires…

Claro que o maestro, com ironia peculiar, se referia aos infinitos churrascos da cidade portenha, e o poema terminava contradizendo o título, porque deve ser dificílimo permanecer vegano naquela Sodoma carnívora. Um homem (por certo um vegano em tais dificuldades) desde a plateia indignou-se e saiu a deblaterar contra o poeta, a quem acusou de farsante, pedante e outras coisas pouco elegantes.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Rafael, um gentleman, agradeceu a intervenção e o insurgente, frustrado com a falta de reposta que ensejasse a discussão, se retirou em protesto. O fato me trouxe à reflexão o quanto se faz necessário o processo civilizatório. A Argentina vive um momento feliz, espero que com fundamento, está banindo o neoliberalismo e respira esperança. Tudo isto me confrontou com a leitura do último poemário do amigo Alberto Bresciani, Fundamentos de Ventilação e Apneia (Patuá, 2019).

Big Bang, buraco negro, do caos à ordem, o espírito de Deus se movendo sobre as águas do Gênesis, a respiração de Ab-ram, dia e noite de Brahman, o Abraão pai das teologias. No movimento de inspirar/expirar, nessa yoga ancestral pela qual o Universo foi criado, repousa o ritmo, fundamento maior da poesia, eterno movimento binário de inflar/desinflar, encher e esvaziar-se.

Toda forma de vida traz essa pulsão, o coração bate do momento da concepção até o expirar, e expirar é sinônimo de morrer, tal qual ter orgasmo, petite morte. Respiram os mamíferos, as baleias sopram seu jato espermático contra Ahab assassino, também a respiração dos insetos, nos quais o ar entra e sai por conta própria, a respiração branquial dos peixes, que sorvem água, como nós fazíamos enquanto éramos fetos, e só fomos trazidos ao ar mediante um tapa na bunda, ou seja, com dor. Essas imagens todas me saltam à mente durante a leitura do livro do Bresci.

Seguindo a linha dos anteriores Incompleto Movimento e Sem passagem para Barcelona, este poeta da elegância (pessoal e literária) inova dentro da própria voz que o vem consagrando no cenário nacional com um livro temático, que evoca a vida animal, e aqui se entenda animal a partir da raiz “anima”, ou seja, os seres com alma. Mamíferos, aves, répteis de sangue gelado, insetos, microrganismos, tudo que tem alma respira, porque o Universo vibra entre as pulsões de vida e morte.

Ao falar dos bichos, Bresciani reporta-se ao mais humano de nós, não como Orwell em sua Revolução, mas como Derrida em O animal que logo sou, fabuloso ensaio em que o filósofo tangencia as grandezas “animalidade” e “ser vivente”.

Das pessoas mais generosas no circuito poético nacional, desde a Brasília que adotou enquanto casa e cujo forte movimento poético integra como uma das vozes principais, Bresciani, escrevendo ou atuando como militante cultural, é uma voz necessária nestes tempos. Livro imperdível.

Serviço: Fundamentos de Ventilação e Apneia, Editora Patuá, 2019, preço R$ 38,00, pelo site www.editorapatua.com.br

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum