Raphael Silva Fagundes

12 de novembro de 2019, 12h24

A esquizofrenia do debate político promovido pela direita

“A esquerda não pode se deixar levar por essa polaridade esquizofrênica ditada pelo fascismo, entre esquerda e direta, Bolsonaro e Lula. Há muito mais em jogo”

Uma coisa que aparentemente é difícil de entender, é o fato dos deputados do PSL entrarem com um pedido de prisão para Lula alegando incitação “à violência com o intuito de promover desagregação, confusão e balbúrdia”.

Como isso é possível num país onde vemos manifestações defendendo o fim do STF e do Congresso sendo incluídas no direito à liberdade de expressão? Tornou-se crime defender a Constituição ao mesmo tempo em que ela é usada para defender a sua própria extinção?

A prisão de Lula foi inconstitucional, feita pela revogação de uma cláusula pétrea. Todos que defendiam a liberdade de Lula sabiam que a prisão do petista, em segunda instância, foi política. A modificação da interpretação em relação a tal questão em 2016, ano do golpe, tinha essa intenção. Os militantes do “Lula livre” estavam defendendo a Constituição. Portanto, como a Globo e os seguidores cegos da Lava Jato estavam “certos” sendo inconstitucionais?

O golpe na Bolívia revela muito sobre o processo golpista brasileiro. Não é um ataque contra a esquerda, mas contra a Constituição! A direita é incapaz de vencer por vias democráticas.

Mas o que é aparentemente difícil de entender tem todo o sentido. Há um interesse dessa direita fascista de conduzir a discussão política. A esquerda não deve se deixar iludir. O pedido dos deputados Sanderson (PSL-RS) e Carla Zambelli (PSL-SP) ao procurador-geral da República, Augusto Aras, não passa de uma forma de monopolizar o debate político, criando polaridades esquizofrênicas.

A esquerda deve se opor aos ditames do mercado financeiro em relação aos rumos das políticas públicas, aos gastos públicos, e não a uma cambada de políticos que querem fazer polêmica para contaminar a luta democrática por direitos sociais.

É triste ver um Ciro Gomes fazendo parte dessa farsa fascista! Contudo, uma aliança democrática, em defesa da Constituição, é indispensável em um primeiro momento. O que aconteceu na Bolívia, com a renúncia de Evo Morales, é o exemplo de que o modelo liberal, isto é, baseado em uma Constituição, está em risco na América Latina.

A esquerda não pode se deixar levar por essa polaridade esquizofrênica ditada pelo fascismo, entre esquerda e direta, Bolsonaro e Lula. Há muito mais em jogo. A luta deve ser pelo direito constitucional que defende diversos interesses trabalhistas, sociais e políticos que estão sendo adulterados pelo plano econômico de Paulo Guedes através de medidas paralelas.

É exatamente como dizem Deleuze e Guatarri: “O que queremos dizer é que o capitalismo, no seu processo de produção, produz uma formidável carga esquizofrênica sobre a qual faz incidir todo o peso da sua repressão, mas não deixa de se reproduzir no limite do processo”. O capitalismo vai produzindo esquizofrênicos que permitem a reprodução do sistema, pois vivem a pensar nas alucinações que ele produz, nunca nas suas bases vitais de sua sustentação.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum