Tomaz Amorim

crítica cultural e literatura

04 de novembro de 2019, 23h33

J. Carlos: IMS de São Paulo promove descuidada exposição racista

Tomaz Amorim: “Se J. Carlos foi inovador do ponto de vista de sua intervenção gráfica nas revistas e jornais brasileiros, é importante ressaltar em uma exposição dedicada à sua obra seu cunho também abertamente racista, sob o risco da passação de pano histórica”


+ posts

19 de julho de 2019, 06h00

Amor militante em “Divino Amor”, de Gabriel Mascaro

Tomaz Amorim Izabel: “É um caso raro de filme que pode dar prazer e fazer pensar tanto libertários, quanto religiosos, sem contradição necessária”


02 de julho de 2019, 06h00

“Estamos em uma dimensão ruim” ou as realidades paralelas como resposta da ficção à catástrofe social

Na coluna de Tomaz Amorim: Por que tantos filmes e séries de ficção científica têm utilizado o recurso do multiverso e das realidades paralelas? O que isso diz sobre nosso presente político?


27 de junho de 2019, 06h00

Uneafro-Brasil: Atlas da Violência 2019 mostra que genocídio da juventude e das mulheres negras continua

Organização aponta para a necessidade de reagir, a partir dos dados de aumento da violência, sobretudo entre os segmentos tratados como minorias, como mulheres, negros e população LGBTI+


03 de junho de 2019, 23h13

Transtopia afrofuturista e privilégio branco em “A gente se vê ontem”, de Stefon Bristol

Na coluna de Tomaz Amorim, Stella Paterniani analisa o filme “A gente se vê ontem”, dirigido por Stefon Bristol e produzido por Spike Lee para a Netflix, e suas especificidades como uma obra de ficção científica negra


25 de março de 2019, 06h00

Bolsonaro e a falência do falo

Tomaz Amorim diz: “A imagem envelhecida, adoecida, que fala gaguejando, que tem a expressão permanente no rosto de ‘como é que eu vim parar aqui’, é o representante ideal deste falo que não funciona mais. Eis sua força de sedução. Daí se reconhecerem nele tantos homens”


12 de fevereiro de 2019, 22h19

O videogame como obra de arte e a série “Russian Doll”

Tomaz Amorim analisa a possibilidade dos jogos de videogame como forma artística e sua influência nas séries e filmes contemporâneos, como no exemplo mais recente da série “Russian Doll” da Netflix”


06 de fevereiro de 2019, 22h58

Deixando a Esmerilhândia a bordo de um vapor barato…

Na coluna de Tomaz Amorim, Krishnamurti dos Anjos resenha “Vapor barato”, novo romance político-psicanalítico de Wilson-Alves Bezerra


01 de fevereiro de 2019, 20h38

A poesia no pó das montanhas pulverizadas

Na coluna de Tomaz Amorim, Atilio Bergamini mostra, à luz do recente crime ambiental de Brumadinho, a presença das tragédias da mineração na poesia de Carlos Drummond de Andrade e nas reflexões de Davi Kopenawa


24 de janeiro de 2019, 21h53

É preciso quase amar no Méier, como Rafael Zacca

Tomaz Amorim comenta “A estreita artéria das coisas”, livro de poesia de Rafael Zacca publicado no fim de 2018 pela editora Garupa


22 de janeiro de 2019, 22h49

Sobre Necropoética e Cinema Negro com Sotaque Mineiro

O cinema negro mineiro está fazendo história.  Apesar da potência transformadora das narrativas negras no audiovisual, o tripé racismo, machismo e capitalismo continua sendo um grande obstáculo para a realização a efetiva escrita de outra história


14 de janeiro de 2019, 23h02

Dois poetas cubanos falam sobre o atual estado da poesia na ilha

Na coluna de Tomaz Amorim, os editores da antologia “Nocaute: 6 poetas/Cuba/Hoje” entrevistam os poetas cubanas José Ramón Sánchez e Oscar Cruz sobre a situação da poesia contemporânea em Cuba e suas relações, sempre intensas, com a política