Imprensa livre e independente
25 de junho de 2019, 07h42

Com índice recorde de calote, micro e pequenas empresas preveem mais demissões do que contratações

O índice que mede a expectativa dos industriais em relação aos negócios também atingiu o menor nível desde janeiro, quando Bolsonaro e Paulo Guedes assumiram as rédeas da economia

(Arquivo)
A inerte política econômica de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes está aprofundando as dificuldades de micro e pequenas empresas, que já preveem mais demissões do que contratações em 2019. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Levantamento solicitado pela coluna Painel S.A., da Folha de S.Paulo, junto ao Simpi – o sindicato do setor -, divulgado nesta terça-feira (25), revela que pela primeira vez no ano, o número de empresários que preveem demitir funcionários em 2019 ultrapassou o dos que pretendem contratar. Uma das razões é o calote recorde. Cerca...

A inerte política econômica de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes está aprofundando as dificuldades de micro e pequenas empresas, que já preveem mais demissões do que contratações em 2019.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Levantamento solicitado pela coluna Painel S.A., da Folha de S.Paulo, junto ao Simpi – o sindicato do setor -, divulgado nesta terça-feira (25), revela que pela primeira vez no ano, o número de empresários que preveem demitir funcionários em 2019 ultrapassou o dos que pretendem contratar.

Uma das razões é o calote recorde. Cerca de 44% das empresas não receberam o pagamento de algum cliente, maior nível desde novembro de 2018.

O índice que mede a expectativa dos industriais em relação aos negócios também atingiu o menor nível desde janeiro, segundo a reportagem.

Veja também:  Ex-diretor de Marketing da Embratur explica por que nova Marca Brasil é um erro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum